ADAB apreende e destrói carga de quase 30.000 bananas proveniente de Mirangaba

Na madrugada da última sexta-feira, 7, uma operação da Agência Estadual de Defesa Agropecuária da Bahia (ADAB) confiscou e destruiu uma carga com cerca de vinte e cinco mil bananas cultivadas por agricultores do município de Mirangaba que seriam  comercializadas em feiras livres da região de Jacobina.

O caminhão foi parado durante a madrugada desta sexta em uma barreira feita pelo órgão na BA-131, entre os municípios de Saúde e Caém, com o apoio da Polícia Militar.

De maneira constrangedora, os produtores rurais, que também são feirantes, foram obrigados a descarregar toda a mercadoria e assistir toda produção fruto de seus esforços ser destruída pelos fiscais da ADAB, que passaram por cima da carga de bananas com o carro da agência, o que deixo a todos revoltados.

A carga de aproximadamente 25 mil bananas é oriunda de produtores rurais de regiões quilombolas que trabalham em sistema de agricultura familiar no município de Mirangaba.   Os agricultores dizem se sentir discriminados e acusam a ADAB de lhe tratarem como criminosos comuns. Para eles, antes de fazer operações como estas, que afrontam o trabalhador, o órgão deveria fazer um trabalho de orientação e apoio aos agricultores, e não destruir de forma truculenta o fruto de seus trabalhos

Por sua vez, a ADAD justifica que ação aconteceu porque os agricultores não portavam a Permissão de Trânsito Interno Vegetal (PTIV), obrigatória para quem faz o transporte dentro do Estado da Bahia.

O documento é emitido pelo escritório da ADAB e comprova que as bananas não estão infestados com doenças como a Sigatoka-negra ou Sigatoka-amarela, considerada a doença mais destrutiva da cultura da bananeira. O objetivo da operação é impedir que essas doenças sejam transmitidas para outras áreas que estão livres dessas pragas.

 

 

Fonte: Bahia Acontece

Deixe um comentário