Idosa de 83 anos espera há quase um mês por vaga em hospital de Salvador

Uma idosa de 83 anos está internada há quase um mês em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Jardim Santo Inácio, bairro de Salvador, depois de ter uma crise hipertensiva. Na unidade médica, Maria fausta ainda sofreu um AVC e um infarto, conforme informaram familiares. 

Por causa da situação, a família pede que a mulher seja transferida para um hospital da capital baiana para receber os atendimentos adequados.

Segundo os familiares de Maria Fausta, que mora em Cachoeira, cidade do recôncavo da Bahia, ela está em Salvador desde 8 de novembro, quando passou mal. Eles contam que a mulher precisa ser levada para um lugar onde tenha tratamento tanto na área de cardiologia, quanto de neurologia.

“Ela chegou aqui andando, depois de uma crise hipertensiva. Em seguida, ela teve um AVC, seguido de um infarto. De lá para cá, ela só tem piorado o quadro. Deixou de falar, não se alimenta, só se alimenta agora através da sonda, e os filhos desesperados, pedindo socorro. A gente não sabe mais em qual porta bater. A UPA não tem estrutura para suportar esse tipo de paciente. Se não tem estrutura, então leva para unidade que possa socorrer. Ela está lutando pela vida. Uma senhora de 83 anos, lutando para viver, sem ajuda", contou uma familiar da idosa.

Ainda de acordo com a mulher, recentemente, dona Maria Fausta, começou a apresentar sinais de paralisia pelo corpo. Ela alega que a idosa chegou no local com todos os movimentos.

“Ela está com um lado do corpo todo paralisado, mas ela entrou com os movimentos, falando. Porém hoje, ela não movimenta braço, perna. Não fala nada, nada", pontuou.

“A gente está na correria, vendo que ela está lutando. A gente fala: “nós vamos conseguir tirar a senhora daqui”. Infelizmente, a gente não tem como fazer. A gente está se mobilizando para tentar ir na secretaria de saúde. Se fosse um parente deles, eles iam deixar nessa situação? Então, a gente pede um apelo aos órgãos responsáveis para que venha atender a regulação de minha avó. Para ela ficar logo boa, ela está lutando dia após dia. Trinta dias, mais ou menos, ela nessa luta, a gente vendo ela se movimentar, ela fazendo os movimentos, mas infelizmente a gente não tem o suporte da UPA", pontuou Sheila.

Por meio de nota, a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) informou que está procurando atendimento especializado para a idosa. Apesar disso, a nota não informou até quando a mulher idosa precisará ficar na UPA.

 Fonte: Portal Serrolândia.