Covid-19: três casos da variante Delta são identificados na bahia

O anúncio feito pelo Governo da Bahia nesta quinta-feira, 26, sobre os primeiros casos de covid pela variante Delta no estado ligaram o sinal de alerta de autoridades. Veja o que se sabe até aqui sobre a variante Delta na Bahia, além de mais informações sobre a cepa e como ela tem se comportado no Brasil e pelo mundo.

variante delta

Quantos casos na Bahia?
De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (Sesab), foram detectados três casos da variante no estado.

Quais os locais do estado onde a cepa foi identificada?

Segundo a Sesab, amostras foram detectadas em pacientes residentes nos municípios de Feira de Santana e Vereda, no extremo sul. Além disso, um tripulante de um navio com bandeira estrangeira também testou positivo para a variante Delta no estado. Neste mesmo navio, um outro tripulante estava contaminado com a variante Beta. A Sesab não informou onde o navio está ancorado, mas afirma que a embarcação estava em isolamento, impossibilitando contactantes.

De onde veio a Delta?
A variante Delta apareceu pela primeira vez na Índia. Ela já foi registrada em mais de 120 países e preocupa o mundo por se tratar de uma cepa altamente transmissível.

Quais os sintomas de um paciente contaminado com a Delta?
A pessoa contaminada com a variante Delta apresenta sintomas que parecem gripe forte. Dor de cabeça, coriza, dor de garganta e febre são sintomas mais comuns; tosse, perda de olfato e paladar deixam de ser corriqueiros, segundo um estudo do Reino Unido. Ainda assim, os sintomas clássicos ainda precisam ser considerados.

O teste para detectar a variante é o mesmo?
De acordo com pesquisadores brasileiros, os meios diagnósticos são os mesmos. Tanto o RT-PCR, quanto a pesquisa de antígeno. No caso da Bahia, a Sesab anunciou que fará o rastreamento por meio desses dois tipos de testes nas regiões do estado onde foram detectados os casos. Todos os pacientes internados nas UTIs com Covid-19 terão amostras colhidas e sequenciadas para identificação do tipo da variante.

A Delta é mais transmissível?
Sim, a variante Delta é mais transmissível. Segundo Raquel Stucchi, infectologista professora da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e consultora da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), no SARS-CoV-2 original, a transmissão era de duas para três pessoas (a cada paciente) enquanto no caso da variante Delta, ela transmite para cinco a oito pessoas. Inclusive em ambientes abertos, o que não acontecia com outras variantes, alertou a infectologista em entrevista à Istoé.

As vacinas estão barrando a Delta?
De acordo com os últimos divulgados em diversas partes do mundo, a variante Delta tem uma tolerância maior à vacinação. Dessa forma, a primeira dose de qualquer vacina confere quase nenhuma proteção contra a Delta. Já a vacinação completa diminui o risco de adoecimento pela variante. Por conta disso, o Governo do Estado propôs o início imediato da terceira dose em todos os municípios que já alcançaram a faixa etária de 18 anos. A medida será pauta da reunião da Comissão Intergestores Bipartite (CIB) prevista para esta sexta-feira (27), que é uma instância deliberativa do SUS que reúne representantes dos 417 municípios.

Também é válido lembrar que o uso de máscara, distanciamento social e higienização são eficazes para bloquear o vírus que causa a Covid-19, e todas as suas variantes.

 

Fonte: Correio24h