Delegado esclarece prisão de Pablo

O delegado de Polícia de Capim Grosso, Dr. Humberto Marino, recebeu representantes da imprensa, na manhã desta quarta-feira, 03 de outubro, para falar sobre a prisão de Pablo Silva Sena, 22 anos, morador da cidade de Capim Grosso, apontado em inquérito policial e deferimento da justiça local por ter participação na morte do músico Leandro de Melo, conhecido por Léo Grande, fato registrado no mês do junho, com mandado de prisão decretado pela justiça.

Nas informações, o delegado informou que Pablo deu entrada em uma unidade de saúde na cidade de Bezerros, no estado de Pernambuco, ferido por disparo de arma de fogo, a Polícia Militar foi acionada e em seguida a Polícia Federal, com sede em Juazeiro da Bahia, na pessoa do delegado da PF, Dr. Bruno Andrade, que iniciou um trabalho de investigação em torno de uma possível participação de Pablo na tentativa do roubo ao avião em Salgueiro, Pernambuco, na quarta-feira, 26 de setembro, quando na oportunidade seis homens foram mortos em ação da Polícia Federal, com a participação de outras guarnições. “Vale citar para a sociedade que até aqui não tem nada de concreto em torno da participação de Pablo no fato do avião, ele entra como suspeita, por conta de ter dado entrada no Hospital na sexta-feira, 28 de setembro, ferido por disparo de arma de fogo, levando a PF a dar início a uma investigação. “Pablo na verdade foi preso por conta do mandado de prisão em aberto expedido pela justiça local, por conta da morte de Léo Grande”, explicou o delegado Dr. Humberto Marino.

Por conta do ferimento Pablo foi transferido para o Hospital da Restauração, em Recife, onde passou por cirurgia e depois de receber alta foi conduzido para o COTEL, na cidade de Abreu e Lima, região metropolitana do Recife, onde permanece a disposição da justiça local. Para o delegado, a prisão de Pablo representa uma vitória na vida da polícia, mediante trabalho realizado em torno das investigações da morte do músico. “No nosso entendimento sim, a prisão de Pablo representa uma vitória para o trabalho da polícia por tudo que foi trabalhado em torno do fato que ele está sendo acusado. Lembrando que outros mandados de prisão seguem em curso, trabalho esse que no nosso entendimento vem contribuído muito para diminuir o número de pessoas assassinadas na cidade. “Já são quase três meses sem mortes na cidade; a nossa meta é fechar o ano sem o registro de outros crimes, porque o nosso objetivo é contribuir com a paz social”, disse Dr. Humberto Marino.

 

 

Fonte: Reporter Bahia

Deixe um comentário