Nutricionista Kátia explica como a alimentação pode auxiliar no combate ao Covid-19, Dengue, Zika e chikungunya

Nos últimos meses, a rotina de muitas pessoas foi modificada pelo avanço da pandemia do novo coronavírus (COVID-19) e, com isso, alguns hábitos alimentares também sofreram alterações bruscas, seja pelo trabalho remoto ou pelo período maior de tempo em casa, gerando, assim, dúvidas e preocupações sobre: Qual a importância da alimentação no combate ao Coronavírus? Como se alimentar neste período? Quais alimentos fortalecem o sistema imunológico? Quais alimentos deve-se evitar? 

Para esclarecer essas dúvidas o FR Notícias entrou em contato com a Nutricionista Kátia Sirlene Oliveira, especializada em Nutrição Clínica, Esportiva e Coach Nutricional. Além de explicar sobre alimentação no combate ao Covid-19, Kátia Sirlene comentou sobre como os alimentos podem contribuir para o aumento ou diminuição dos sintomas apresentados pela Dengue, Zika e chikungunya, sendo este, um dos fatores determinantes para a melhora do indivíduo infectado.

Qual a importância da alimentação neste momento de pandemia do Coronavírus?

- Manter o sistema imunológico fortalecido, junto com outros fatores que também contribui para imunidade como exercício físico, sono adequado e intestino saudável. Esses pilares (alimentação, exercício, sono e intestino saudável) têm importante papel de nos proteger contra qualquer vírus, e responder melhor aos sintomas do covid-19.

 

Quais alimentos ajudam a fortalecer o sistema imunológico?

-Alimentos naturais como frutas, verduras, legumes, folhosos, sementes, castanhas, raízes (aipim, inhame, batata doce), peixes, ovos, carnes e feijões.

 

Quem está diagnosticado com Covid-19 deve evitar algum tipo de alimento?

-Alimento não. Mas os ultraprocessados sim, cheio de açúcar, sal, gorduras, corantes e aditivos. Esses produtos enfraquece o sistema imunológico e consequentemente retarda a recuperação do indivíduo. 

 

Capim Grosso e região tem números elevados em relação a Dengue, Zika vírus e Chikungunya. Como a alimentação pode interferir para diminuir os sintomas?

-Estamos passando por um momento de epidemia, especificamente de chikungunya e dengue em nosso município, é preciso alertar a população quanto aos cuidados com água parada no quintal, pneus, plantas que tenham reservatório de água, latas ou baldes velhos pois são locais que o mosquito deposita seus ovos, e ali vivem por uma semana, e depois saem para picar as pessoas. A alimentação a base de alimentos frescos e naturais contribuem para minimizar os danos causados como dores intensas nas articulações e músculos, alteração do sono, intestino e cansaço. 

 

Quais os cuidados devemos tomar com a alimentação se tivermos diagnosticados com Dengue, Zika vírus ou chikungunya?

-Aumentar o consumo de água no mínimo (40ml x o peso) e aumentar o consumo de alimentos naturais como frutas principalmente fonte de vitamina C (laranja, limão, abacaxi, acerola, goiaba, caqui, mamão), verduras, legumes, folhosos, as raízes, ovos, carnes brancas como peixes e frango.

 

O que você orienta para a população que está com algum destes problemas de saúde (Covid-19, Dengue, Zika vírus ou chikungunya).

-Procure dormir melhor, não assistam TV a noite, não fique no celular até tarde, não tomem café a noite pois atrapalha o sono, prefira um chá de camomila, melissa, mulungu ou erva cidreira – SEM ADOÇAR;

-Consumir alimentos anti-inflamatórios que diminui o quadro de dor como peixes (salmão, sardinha, atum, ovos, azeite extra virgem, romã, gengibre, açafrão, inhame, frutas e os vegetais – alimentação o mais natural possível;

-Cuidado com a quantidade de sal na alimentação, use especiarias como orégano, alecrim, manjericão;

-Quando liberado pelo médico ou fisioterapeuta praticar exercício físico com orientação do profissional, pois as dores diminuem e fortalece o sistema imunológico e assim, evita as possíveis complicações como deformações articulares, síndrome de guillain- barré e microcefalia em bebês.

 

 

Redação FR Notícias