Vereadores cobram ao poder público máquinas de plantações

O Presidente da Câmara de Vereadores, Jefferson Ferreira, no uso de suas atribuições dirigiu abraços para o vereador Gilberto que acompanhava a sessão via internet. Informou que as igrejas estão abertas de acordo com os decretos estaduais e a recomendação é que todo evento esteja cumprindo o distanciamento e uso de máscara. Lembrou que seu mandato tem um pedido de construção de uma ciclovia e pista de ciclismo, estando conversando com deputados mas a proposta inicial é a construção através de recursos próprios. Presidiu a sessão permitindo a interação das pautas conforme o Regimento Interno da Casa.

 

O Vereador Val de Pedrinho, fez um requerimento verbal para que o Poder Público Municipal possa adquirir máquinas de plantações, pois o homem do campo está preparando a terra para plantar. “O ano passado nós tivemos exemplo de muita safra e não teve como fazer a silagem, precisar fazer o confinamento do capim e armazenamento para alimentar o rebanho futuramente”, explicou. “O produtor rural do município precisa do kit para fazer a inseminação artificial do rebanho bovino”, completou.  Saldou os goleiros capimgrossense e o grande amigo Valter que representa a cidade Brasil à fora, “uma posição importante como profissão ou como esporte”,

  

O Vereador Nanal Vilas Boas, indagou porque no cruzamento da Av. Luiz Eduardo Magalhães com a Pinheiros, acontecem vários acidentes, e muitos vereadores, até mesmo antecessores, foram cobrados, e o Poder Executivo não consegue executar uma simples demanda chamada quebra-molas. Disse já ter presenciado vários acidentes, “inclusive o ex-vereador Manezão impetrava essas ações”. A proposição é reiterar que se faça uma análise através do Departamento de Trânsito, “pois não é normal tantos acidentes na localidade”, disse. Relatou que o cemitério Manoel Maciel de Sousa, algumas pessoas não vão para a capela por questão de doutrina e já pediu a cobertura de um espaço já pavimentado para essas pessoas, além da utilidade da espera protegido do sol e da chuva nas cerimônias fúnebres. Reclamou que sobre a Rua Angelita Queiroz já aconteceram vários debate na Casa, “pois aquela maneira que foi feita a pavimentação não precisava ser engenheiro para dizer que não daria certo” 

edil alexO Vereador Alex da Metalúrgica, comentou sobre a alegria da chegada das chuvas, trazendo alimentos para animais e o homem do campo que sofre muito durante a seca. Continuou agradecendo ao Secretário Jamber Dantas por ter dado atenção a Bairro do Planalto, onde está fazendo um trabalho muito bom em sua pasta. Os agradecimentos se estenderam ao prefeito Sivaldo que vem atendendo aos pedidos para as localidades. Informou sobre a visita do Deputado Estadual, Jurandi Oliveira e o seu filho Marcelo Oliveira, Presidente da Bahia Pesca.  Agradeceu também ao Deputado Federal Claudio Cajado que beneficiou a cidade com 100 caixas d’água de mil litros e em breve irá colocar outros benefícios para o município.

  

O Vereador Samoel Moto Taxi, disse que já debateram os assuntos várias, que eram olhados como crítica e não como solução e a chuva mostrou a real situação da Rua Angelita Queiroz, “e o vereador Nanal confirmou que o engenheiro deu de testa com todos”. “A minha rua não é calçada e precisei usar rodo para tirar a água”, comentou. “O que deixa a gente indignado é que eu não sei por que a prefeitura não notifica a empresa, o segundo levantamento diz que precisa ter a drenagem, tem lá a placa, a empresa comeu a drenagem?”, indagou.  Pediu que a empresa seja notifica. “Não existe um engenheiro se achar inteligente morando lá em Salvador, não sei em que andar, leva o dinheiro e deixa o povo na lama, isso é um absurdo”, disse. “Que a prefeitura diga onde está a drenagem”, 

  

O Vereador Lucas Maciel, falou sobre o Projeto de Lei de Nº 209. Explicou se tratar de autoria de classes que pediram para a criação. “A maioria dos projetos de minha autoria é criada ouvindo a população”, disse. “O projeto da OMS diz que para o vírus não se alastrar tem que ter uma prevenção de usar a máscara, higienização das mãos e distanciamento e com isso o vírus não vai contaminar, o Ministério da Saúde fala a mesma coisa”, explicou. “A Secretaria de Saúde é regida por muitas pessoas inteligentes, inclusive o Máguibi Rangel, mas se a OMS está dizendo, evita o trabalho”, disse. “De forma jurídica tudo que se faz tem que ter a Lei, no dia 03 de abril, o Ministro do Supremo Federal, Kássio Nunes liberou as atividades religiosas em todos os municípios, não vamos colocar questões ideológicas em questões espirituais, não quero que os vereadores honrem pastores e padres, honrem a Deus, nada melhor que buscar o Reino de Deus, nunca que uma pessoa que passou tantos dias intubados e teve a recuperação rápida como o vereador Gilberto que hoje já encontrei na Secretária de Saúde, isso é para da honra a Deus que é quem pode fazer todas as coisas”, relatou. Além da orientação jurídica e associações dos pastores evangélicos tem a Lei. O Art 5. VI – É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e as liturgias; Art 19 – É vedado à União, aos Estados, aos Distrito Federal e aos municípios. “Quando a gente vai para a Lei Federal e OMS que fala que pode se cumprir, o Governador do Estado já falou que tem que ter 30% para funcionar, faço um desafio, se as igrejas estiveram funcionando com mais de 30% eu rasgo esse projeto”, continuou. “Eu peço que coloque o projeto para tramitar novamente, quem for a favor vota, quem não for não vota e acaba com isso, cada um aqui tem sua ligação com seus pastores, tem católicos praticantes aqui, é um projeto da Associação dos Pastores, mas houve uma manifestação muito maior dos católicos, as igrejas são essenciais no momento como esse”, pediu. “Um pastor se comporta como assistência social, um médico do mesmo jeito, vamos cumprir o que diz a OMS e o Ministério de Saúde, não é nada contra a Secretaria de Saúde, são pessoas de bem, mas a OMS já deu o parecer”, concluiu.

edil kalO vereador Kal de Zé Preto disse ter visitado o terreno onde funcionará o Polo Industrial e percebeu a necessidade de nivelar o local até o asfalto. “Está uma lagoa cheia de água, o projeto foi aprovado com certa urgência e até hoje nada, criar leis e aprovar as cosias é muito bom, foi criada a comissão, visitamos a empresa que é de média para pequena, mas se gerar emprego é bom que venha”, adiantou. “Mas o município tem que agilizar, pois da forma que está ali, até a empresa que quer vir não vem”, cobrou. “Falei que o dinheiro do São João é uma reserva pra fazer uma festa junina, mas o déficit da habitação é grande em Capim Grosso, porque essas economias não fazer casas populares, se a gestão for voltada para o social da pra fazer com recursos próprios no mínimo cem casas”, idealizou. “Sobre o projeto que acaba com o concurso público serei contra todo dia que mandar, a pessoa estuda sonhando com concurso público e a seletiva é cabide eleitoral”, falou. Pediu que a prefeitura notifique a Codevasf para concluir o calçamento da rua Petrolina no Bairro Planaltino, “a praça São Luiz gastou um horror de dinheiro e não foi concluída, deve estar um lamaçal, o dinheiro público jogado pelo ralo, é bom que a gestão mostre quanto vai gastar de aditivo, uma praça daquele tamanho que nunca para de construir”, concluiu.

edil neyO vereador Professor Ney disse que são muitos temas debatidos na Câmara e gostaria e debater cada um deles. Esclareceu sobre o projeto do vereador Lucas de tornar academias e igrejas em serviços essenciais, “a constituição dá a liberdade religiosa, mas estamos em tempo de pandemia e não sabemos as consequências futuras, estávamos vendo as mortes e vamos olhar o projeto de forma técnica e não vai ser de forma política o parecer”, explicou. “O projeto diz que as igrejas podem funcionar, e as igrejas já estão funcionando, as academias estão funcionando, quando torna um serviço essencial ele não fecha durante a pandemia e se aumentar o número de casos e de mortes aí que está o problema, quando for para apertar o sinto o que tiver que fechar para atender à saúde das pessoas precisa ser feito, e se for essencial e quiser fechar não vai pode”, relatou. “As igrejas e academias estão cumprindo o distanciamento e uso de máscara”, informou. “O supremo já disse que cabe ao supremo decidir e consultamos o jurídico da Casa e o comitê gestor, o Ministério da Saúde não vem acertando quase nada na pandemia o ex-ministro estava passeando no shopping sem máscara”. “As igrejas têm que permanecer abertas, mas, respeitando os decretos já existentes”, disse. Adiantou que o projeto sendo rejeitado as igrejas não iram fechar, vai funcionar respeitando os decretos, e se for aprovado não vai poder fechar, “e eu vou aguardar o parecer técnico da vigilância epidemiológica do município”, ponderou. Continuou dizendo que a população não pode pagar pelo problema dá água invadir as casas e disse que é necessário cobrar as empresas que façam obras de qualidade. Anunciou que serão calçadas oito ruas que já foram licitadas no Bairro Jardim Formosa de emenda do senador Otto Alencar, e o filho do senador o Deputado Federal, Otto Filho, fez uma emenda para a Rua Caiçara e seu entorno. Disse que Capim Grosso agora é comarca intermediaria, que são muitos processos e precisa avançar no número de juízes e o que se pede é para que se crie as varas civis e de relações públicas e da Fazenda e futuramente até um juizado, que seja aplicada a lei e que se possa ter três juízes na comarca. “Recentemente recebemos um selo diamante pela atuação e trabalho, o número de processos vem diminuindo muito, graças aos servidores”, parabenizou. Falou ainda sobre a busca da instalação de uma Defensoria Pública em Capim Grosso, Quixabeira e São José do Jacuípe, para que as pessoas carentes possam recorrer.

edil nen titininhoO vereador Nem de Titininho disse que no calçamento do Bairro São Luiz deve ter sido o mesmo engenheiro que fez o calçamento da Rua Angelita Queiroz, pois o povo sofre demais com a água que invade as casas, “como se diz ser engenheiro e faz um calçamento, e entrar água dentro de casa? ”, perguntou. Pediu ao prefeito que se faça os ajustes nos calçamentos. Disse que a ex-prefeita fez dois mil metros de rede de esgoto para retirar água de uma praça. E informou que Van da Serraria perdeu a metade dos equipamentos dele por conta da água que invadiu, sendo uma situação triste para a cidade. Reclamou que a Rua Emerentino Alves e Tomé de Sousa a água não sai e a população é quem está sofrendo. Em relação a pedido de se fazer casas populares com o dinheiro do São João, o prefeito não terminou e a ex-prefeita Lídia também não terminou as existentes, então eles não irão fazer casas populares. “É pegar o dinheiro do São João e fazer cestas básicas para o povo”, concluiu.

edil brunoO vereador Bruno Vitor, pediu um requerimento verbal para calçamento na Travessa da Presidente Médice com a Valdelice Francisca, um pedaço pequeno em torno de 50 a 70 metros podendo ser colocado em obras de pequenos reparos. Agradeceu ao Secretário Jamber por atender pedidos de limpeza e capinagem no Distrito de Pedras Altas. Pediu a limpeza do Senharol, local onde as pessoas utilizam para pegar água do rio, pois a samambaia toma conta nesse período, um serviço que necessita a utilização da retroescavadeira para fazer essa limpeza. “Estive conversando com o prefeito Sivaldo sobre necessidade urgente de uma pista de caminhada, que vai dá em torno de dois ou três quilômetros, pois está acontecendo acidentes com o pessoal de bike se arriscando no estacionamento da BR e traz esse risco. Pediu ao prefeito em nome da Casa, urgente para Capim Grosso que já está ultrapassado nesse quesito. “Haja visto que o senhor se tornou um atleta nato, quero lhe pedir já que está havendo a necessidade, dê esse presente a Capim Grosso porque merece. “Mesmo trazendo transtorno no São Luiz a praça foi de grande valia, a chuva está alagando e em questão de minutos a água vai embora, pois antes ficava empossada e criava mato e capim de lagoa, a infestação do aedes era terrível”, explicou. “O engenheiro é uma porcaria, quem acompanhou as últimas obras viu que deixou muito a desejar e o prefeito Sivaldo voltou lá e as pedras que ficaram de fora do projeto estão sendo colocadas”, comentou. “Reforçou o pedido ao Bairro Sacramento em relação ao esgoto e a fedentina”. Abraçou o pastor Davi e disse que as igrejas precisam abrir sim, comunga com o pedido do vereador Lucas e está junto com as igrejas.

edil joO vereador Jó Queiroz disse que o que tiver errado tem que se cobrar mesmo, pois os vereadores são fiscais e trabalham para o bem do povo. Lembrou que o prefeito Sivaldo tem apenas quatro meses de mandato e não é de um dia para o outro que vai transformar a cidade. Também comentou sobre o projeto das igrejas e academias, “se achar que não é de acordo a votar, não vou votar, tem o parecer jurídico da Casa, não pode usar a tribuna para chamar a gente de hipócrita para fazer política, a política já passou, eu dei o parecer ao contrário e vou manter contrário, faça o que quiser, não adiantar vir pra cá colocar projeto pra se aparecer e fazer média com o povo, deixo bem claro, meu parecer está mantido contra”, finalizou.

 

 

ASCOM Câmara Municipal de Vereadores

 

 

 

 

 

 

ASCOM CMV