Homem que tentou fugir vestido de mulher é encontrado enforcado em presídio

O preso Clauvino da Silva, de 42 anos, que ganhou destaque no noticiário nacional e internacional ao tentar escapar do complexo penitenciário de Gericinó (Bangu), no Rio, vestido de mulher, foi encontrado morto na manhã desta terça-feira, 6, dentro do presídio. Segundo a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) do Rio, a morte foi provocada por enforcamento.

Clauvino tentou fugir do presídio no último sábado com uma máscara, uma peruca e as roupas de sua filha adolescente, mas o plano foi frustrado por agentes penitenciários.

Segundo a Seap, o preso foi encontrado morto dentro de sua cela, enforcado com um lençol. Os bombeiros foram acionados e a Polícia Civil investigará o caso. A secretaria instaurou uma sindicância para apurar os fatos.

O caso

Clauvino foi flagrado por agentes penitenciários tentando fugir do Presídio Gabriel Ferreira Castilho, conhecido como Bangu 3, ao fim da visita do último sábado. O preso colocou uma máscara com peruca, roupas femininas e um óculos de grau para se disfarçar de mulher. A intenção do criminoso, segundo a Seap, era deixar a unidade se passando pela filha, Ana Gabriele Leandro da Silva, de 19 anos, única visitante do pai no sábado.

Os visitantes, ao entrarem na unidade prisional, deixam na portaria sua carteirinha de visitação. O documento é devolvido na saída. Clauvino foi abordado na portaria, onde pegaria a carteira da filha. A jovem permanecia dentro da unidade. Os agentes penitenciários acreditam que após a fuga do pai, Ana Gabriele tentaria deixar a cadeia alegando que seu documento havia desaparecido.

A secretaria suspeita do envolvimento de outras visitantes, uma delas grávida, no plano de fuga de Clauvino. A gestante é suspeita de ter entrado na cadeia com a máscara usada pelo traficante, já que ela não passa pelo procedimento de revista dos demais visitantes.

Ana Gabriele foi autuada em flagrante na 35ª DP (Campo Grande) pelo crime de facilitação de fuga, que tem pena de seis meses a dois anos de detenção.

Também conhecido como Baixinho, Clauvino estava preso na galeria B7 de Bangu 3, que abriga os chefes da maior facção criminosa do Rio. Ele havia sido condenado a 73 anos e 10 meses de prisão. O criminoso já tinha, em seu histórico, uma outra fuga. Clauvino foi um dos 31 presos que fugiram pelo esgoto do Instituto Penal Vicente Piragibe, no Complexo de Gericinó, em fevereiro de 2013.

Ele conseguiu escapar, mas ficou pouco tempo nas ruas. No mês seguinte à fuga, Clauvino foi preso com outros três cúmplices numa tentativa de invasão ao Morro da Fortaleza, em Angra dos Reis.

 

 

Fonte: Correio