Veja como será o cronograma de pagamento da segunda parcela do Auxilio Emergencial

A partir desta segunda-feira, 18, será liberada a segunda parcela do auxílio emergencial de R$ 600 a R$ 1.200 para beneficiários do Bolsa Família elegíveis a receber a ajuda. A ordem de pagamentos obedece o número do NIS, assim como ocorre todos os meses para quem tem direito ao programa.

 

Após mais de duas semanas de atraso da previsão inicial de pagamento, na sexta-feira, 15, o governo publicou o calendário de liberação da segunda parcela do auxílio emergencial no Diário Oficial da União.

O cronograma será dividido em três momentos:

Pagamentos e saques do Bolsa Família – de 18 a 29 de maio

Pagamentos virtuais e uso digital dos demais beneficiários – de 20 a 26 de maio

Saques e transferências dos demais beneficiários – de 30 de maio a 13 de junho

Só quem recebeu a primeira parcela até 30 de abril irá receber o segundo depósito dentro desse cronograma. Ainda não há previsão para a segunda parcela daqueles que tiverem o pagamento liberado após esta data.

A Caixa também lançou novas datas de pagamento para os pedidos que estavam “em análise” ou foram contestados e foram aprovados recentemente. Para essas pessoas, a primeira parcela só começa a ser paga na terça-feira (19), conforme a data de aniversário do trabalhador.

As datas da terceira parcela do benefício, antes previstas para maio, seguem indeterminadas.

 

O que mudou?

A partir desta segunda parcela, todos os beneficiários (com exceção daqueles cadastrados no Bolsa Família) irão receber o dinheiro pela conta digital da Caixa, inclusive os que possuem contas em outros bancos. A mudança afetará 3 milhões de pessoas, segundo a própria Caixa.

Na prática, o dinheiro não poderá ser transferido ou sacado de nenhuma forma até o início do segundo calendário, específico para essa finalidade, que só começa no fim do mês.

Até a primeira parcela, os correntistas da Caixa e de outros bancos podiam receber o auxílio nas contas informadas no pedido do benefício ou listadas no Cadastro Único.

Dessa forma, o saque podia ser realizado nos caixas automáticos desses bancos, sem a necessidade de esperar por um calendário.

Agora, para movimentar o dinheiro, todos os beneficiários irão depender do aplicativo Caixa Tem, que recebeu várias reclamações de mal funcionamento. Não será preciso pedir a abertura de conta. Ela será feita automaticamente.

“O cliente que recebeu a primeira parcela pela conta poupança da Caixa ou por outro banco terá aberta nesta segunda etapa, gratuitamente, uma Poupança Social Digital e movimentará os recursos por meio do Caixa Tem”, informa o banco, em comunicado.

Na primeira leva de pagamentos, somente aqueles que não tinham conta em banco ou não a informaram tinham de seguir um cronograma de saques. Eles receberam a primeira parcela pela Conta Poupança Social Caixa, aberta especialmente para este programa.

Ainda de acordo com a Caixa, a mudança foi realizada para tentar evitar a aglomeração e formação de mais filas. O banco chegou a ser notificado pelo Procon e acionado pela Justiça por conta das enormes filas do lado de fora das agências em meio à pandemia de covid-19.

 

Bolsa Família

Para quem tem Bolsa Família, já estavam previstas as datas que seguem o número final do NIS.