Vereadores apoiam a regularização de todos os Guardas Municipais

Na segunda-feira, 15, mais uma sessão da Câmara de Vereadores foi realizada com sucesso, o destaque ficou por conta dos guardas municipais que atuam por muitos anos com desvio de função e lutam pela regularização junto à categoria. Projetos de Leis e indicações foram analisadas e encaminhadas para comissões, no intuito de trazer mais desenvolvimento para a cidade.

Palavra do Presidente - Bruno Vitor disse que é necessário ter uma guarda regulamentada, mas que não podem se esquecerem da prata da casa, que sempre defenderam Capim Groso e o patrimônio público, “não é justo regulamentar a guarda sem aqueles que exercem o desvio de função há mais de 20 anos, e os onze vereadores tem esse entendimento”, adiantou. Disse que os guardas municipais podem contar com a Casa, pois precisa pensar na evolução de Capim Grosso, assim como a APLB fez o Plano de Cargos e Salários,  a categoria também precisa. “Não me canso de elogiar todos vocês, não esqueço quando foram para as ruas proteger os pais de família, tenham certeza que tem uma Câmara de Vereadores atuante que não vai fazer vistas grossas e o mesmo olhar voltado para o registro tem que olhar os que fizeram concurso de outra área e foram deslocados, não é justo que trabalharem mais de 20 anos e agora fazer de conta que foram 20 minutos”, completou. Comentou sobre a família de Hélio Santiago que perdeu sua sobrinha Areta. Também a família de Adelidio Santos, amigável com todos, sempre sorridente e veio a falecer. Disse ter na Casa um projeto de Lei e pediu apoio dos colegas sobre a Central de Medicamentos que vai ter acolhimento dos remédios que estão guardados em casa, “vai ter um farmacêutico para receber e repassar para quem não tem condições”, explicou. Sobre o Bairro Novo Oeste informou sobre a pavimentação das ruas B, C e D, e que homenageou os primeiros moradores do bairro, “em memória”, Vitalmiro, Balbino, Japão e dona Zefa nomeando esses logradouros. Também comentou sobre a padronização das barracas.

Jeferson Ferreira falou a padronização da feira livre, pois conseguiu em parceria com o mandato da Deputada Estadual, Neusa Cadore, 28 barracas para a Agricultura Familiar através da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), como parte das ações positivas e que vai trazer desenvolvimento, dando ponta pé inicial para a padronização da feira livre, conforme solicitado através do requerimento 022 de abril de 2017. Firmo um compromisso de apoiar os servidores da guarda municipal e a toda população, para acompanhar a regularização que venha beneficiar toda categoria.

 

Samoel Ferreira disse que o projeto de regularização da Guarda Municipal provavelmente vai tramitar na Casa, “com certeza terá meu apoio, se estiver bom para os servidores”, adiantou. Disse ter um requerimento indicando o envio para Câmara de Vereadores, cópias de contratos em andamento com empresas de prestação de serviços e cópias do projeto de cada obra que passa pelo município. “Nenhum documento chegou até agora nesta Casa”, informou. “Desde a última gestão pedi esses documentos e tive que ir até o TCM e ao Ministério Público solicitando”, completou. “De toda obra existe um contrato e nós Vereadores precisamos ter em mãos esses projetos para poder fiscalizar as obras”, explicou. “Faço denúncias verdadeiras, é injusto ver empresas levando nosso dinheiro”, reclamou. “Envio ao Ministério Público e TCM porque é vergonhoso, o município vai ser notificado novamente, alguém da comunidade requerer documentos de prestação de contas a obrigação é ceder e não pode negar documentos para o legislador, o povo a cada dia está revoltado, eu estou do lado do povo, as coisas não estão as maravilhas, é só cada um de nós se colocar no lugar do povo e vamos ver que não é bem assim”, relatou. “Muitas vezes nessa Casa, colegas Jó e Lucas, fui tachado várias vezes e diziam que uma andorinha só não faz verão, e eu dizia que fui eleito pelo povo e enquanto for eleito vou defender o povo, pois eles precisam”, disse. “Entramos nessa batalha que não é fácil, espero que esse nome de andorinha só, não seja mais citado, pois tenho certeza que vocês estarão juntos, o que temos que defende é o povo”, comentou. “Quem defende corrupto é corrupto também, quem defende as coisas erradas é porque está se beneficiando e lucrando e a cada dia que passa a gente toma nojo de coisas que acontecem”, falou. “Contratos de imóveis desnecessários no município, um exemplo da base da polícia da Caesa, que muito bem poderia ser deslocado para antiga delegacia, pois passam por aqui de 15 em 15 dias de mês ou de mês e tem um aluguel desnecessário, 80% desses contratos podiam ser cortados, juntando esses valores chegam a 200 mil reais”, informou. “Enquanto acontecer dessa forma de querer poder a qualquer custo o povo vai sofrer”, lamentou. “Tem muitos funcionários que mereciam um reconhecimento a mais, um aumento e uma gratificação, principalmente o pessoal da guarda que trabalha a noite”, alertou. Pediu a gestão que resolvesse o problema de iluminação do cemitério do Planaltino, pois não é justo enterrar um ente querido a faróis de moto e de carros.

Gilberto Alves comentou sobre a rede de esgota da praça Nossa Senhora de Fátima, no povoado do Peixe, que corre a céu aberto, e no último domingo aconteceu uma missa e em frente à igreja e foi constatado uma fedentina, e a gora é necessário de apoio para retirar. Também indicou para extensão de rede de água a Rua da Torre, pois existem mais de seis casas, que necessitam do acesso, também na rua da Caixa. “Essa Casa sempre teve parceria e vai continuar trabalhando para esta comunidade” continuou. Parabenizou o Presidente Bruno Vitor e o colega Jeferson Ferreira, pela indicação da padronização da feira livre.

 

Jó Queiroz disse que a Câmara de Vereadores está sempre a favor dos servidores, sejam guardas, garis ou professores, e o que for melhor para a categoria vai acompanhar. Sobre os alugueis que a prefeitura tem somados são 193 mil reais.. “A antiga delegacia está fechada sendo que poderia construir um prédio”, indicou. Esclareceu que não tem líder político, “eu devo satisfação ao povo, não sou menino de recado de ninguém, se eu tomar uma decisão e errar eu errei, mas quem decide sou eu, eu vou fazer o que for de melhor, tive 632 votos, mas sou vereador de 31 mil habitantes, política é daqui a três anos, o futuro a Deus pertence”, declarou. Informou que seu projeto de adesivos de identificação dos veículos que prestam serviço ao município já estão sendo colocados.

 

Jamber Dantas disse que apresentou requerimento de número 046, referente a pavimentação das travessas Morro Branco e Portugal, no Bairro Vicente Ferreira. Fez o pedido para a Drª Lydia, e espera que o mais breve possível seja feita, pois as pessoas precisam dessa pavimentação. Parabenizou a Secretaria de Agricultura por todas as aguadas que foram limpas no município. Informou que esteve em Pedras Altas com ribeirinhos e também na Barragem “e precisamos urgentemente mobilizar a sociedade civil para a economia de água, aquelas pessoas que tem o costume de lavar a calçada duas ou três vezes na semana lave apenas uma vez, a situação é muito grave, com menos de 10% da capacidade”, orientou. Disse que percorreu parte do leito da barragem e é muito grave a situação, “conclamo a sociedade para essa grande causa”. Pediu que a Embasa intensifique a comunicação para chamar a atenção seria e firme de população. “Se cada um tiver ciência e ver de perto como se encontra a barragem, cada uma vai fazer sua parte”, disse. Comentou que todos os edis irão fazer o que for melhor para o quadro de funcionários e em especial para a Guarda municipal, sendo mais que necessário atentar para os serviços e ter a certeza e a convicção que todos estão juntos para a regulamentar de toda a Guarda Municipal.

Antônio Martinho falou da estrutura da escola do Lagedo, “uma estrutura é importante dentro de um convívio de professores e alunos”, declarou. Disse que estudou na escola agrícola e a estrutura foi a melhor escola que pode participar. Comentou que a escola do Lagedo foi feita com uma estruturação grandiosa e que o tempo está ajudando a deteriorar. “Cheguei na Secretaria de Agricultura e não tinha um computador e hoje tem uma impressora. A Escola do Lagedo todas as impressoras e os cinco computadores estão quebrados. Disse que também esteve no salão do sindicato onde foi realizada uma reunião informativa e importante, para tratar da Defesa Civil Municipal, onde ajuda a gerir o programa do Exército, com um mar de informações importantes e a comunidade saio com uma consciência mais firmada no que refere a gestão da distribuição de água. Comentou sobre Audiência Pública do Conselho de Saneamento Básico e pediu ao Presidente da Câmara que informe se faz parte de algum conselho, “se estou indicado para alguma comissão eu não estou sabendo e se já fui o convite nunca chegou até a mim, todos ficaram nessa dúvida e é desgastante”, explicou. Cobrou também um espaço conveniente para a Casa, que façam uso de equipamentos mínimos e precisa de suporte de computador e impressora para imprimir e escanear documentos “e de fácil manuseio para a gente pesquisar, uma sala muito bem equipada”, sugeriu.

Nem da Pastoral disse que alguns alugueis já vão sair do município, “tudo indica que o setor de tributos vai para a delegacia”, falou. “Na saúde é onde a população mais necessita, nós vemos a correria dos vereadores, a carência do povo é tanta que precisa fazer isso, eu vou dá o máximo de mim, cada um tem que fazer o melhor de si”, completou. Parabenizou a Prefeita Lydia pela reforma do Colégio Francisco Machado, que agora é a melhor escola da cidade. “Aquele padrão sim, sendo que a função dos vereadores é fiscalizar eu fui agora estou repassando para vocês”, adiantou. “Vereadores Bruno e Jeferson estão de parabéns pelo projeto da padronização das barracas”, elogiou. “O mercado não está na situação de cair, o que eles querem é uma iluminação melhor e um piso, mesmo assim não é justo ficar tanto tempo e não ter uma reforma boa”, completou. Comentou sobre a audiência pública sobre de regularização da Guarda Municipal, “e os vereadores estão do lado da categoria, a favor da regularização, e contra que alguns sejam prejudicado”, disse. Finalizou dizendo que precisa consultar o jurídico para que também sejam regularizado os que estão sendo guarda.

Nanal Vilas Boas informou que fez dois requerimentos a apenas um setor da cidade, o pedido de um corrimão ou proteção e o Poder Executivo ao estudar pode optar por um dos dois, no final da Avenida Tancredo Neves próximo a Lagoa de Dete de Pedrinho, onde alguns acidentes já tem ocorridos e que a barra de proteção foi uma árvore e por sorte não desceu precipício. Outro ponto onde condutores de veículos passam em alta velocidade e na curva as edificações escondem o perigo. “Gostaria que o poder executivo examinasse o requerimento”, solicitou. Citou quatro nomes, Renilson, Levinio , Geová e Everaldo, “nenhum de vocês sabem o que esses nomes tem em comum, são cidadãos de Capim Grosso, de boa índole, de baixa renda, dois carroceiros e os outros dois fazem biscates para ganhar a vida, foram pessoas que se dirigiram a Secretaria de Obras e Urbanismo e requereram uma carrada de entulho e foram destinados a empresa, Servcon, a direção volta e destina os mesmos a Secretaria de Urbanismo exigindo um ofício para que esses fossem atendidos, não dá para entender a complexidade e contradição da gestão, se perde nas ações com pessoas dessa igualitária que estão construindo suas residências com sacrifício, inclusive um deles na Baixa Funda, com ajuda dos amigos para poder economizar dinheiro e comprar outros materiais, tentando terminar a casa, esses quatro nomes voltaram indignados”, criticou. “Semana passada falei da Rua Irlande para amenizar o lamaçal e a Secretaria de Urbanismo não atendeu, seria importante que se atentasse da situação”, comentou. “Quando eleito vereador em outubro passado, em novembro me abriu a mente de buscar a empresa que ganham mais com os contratos, fui lá no lote de limpeza de entulhos e que em 2016 eram pagos em contrato global, 41 mil reais, nós munícipes já pagamos, se pagamos o entulho ele é da municipalidade, o que custa a empresa que presta serviço já pago, destinar o resíduos para aqueles proprietários que dependem para acalentar as suas obras”, perguntou. “Se possível encontrar meio de multar os irresponsáveis que numa situação calamitosa, utilizam o liquido mais preciso para ter o luxo de lavar calçadas”, pediu. Sobre a audiência Pública da Guarda Municipal relatou a presença de guardas e explanação de juristas e autoridades, “são duas vertentes que uma prima pelo registro e o outro pela sua veracidade e tempo de trabalho, o bom da democracia é que se pode ouvir as duas vertentes, com regime jurídico único, com a Lei Municipal e que dirige a função como funcionário público, precisa-se de estudo para que se entenda e não crie problema para os funcionários”, concluiu.

Lucas Maciel comentou a audiência pública sobre a regularização dos guardas municipais, explicando que será cauteloso para falar sobre o assunto, “e na hora de votar vou ser mais cauteloso ainda, jamais vou beneficiar um ou outro, vamos beneficiar a todos, para que saiam felizes e tudo dê certo”, explicou. Disse que recebeu a informação que em meio à crise e dificuldades, ainda há recursos do Ministério da Defesa no programa do Exército que atende a distribuição de água, “os pipeiros estão com a planilha pela metade precisando trabalhar e o povo sofrendo com sede e a cisterna seca, porque falta eficiência e gestão da Secretaria de Agricultura que deixa a desejar com o principal alvo, que é o povo da zona rural, o cadastro só é feito se a prefeitura solicitar, o exército vem, faz a demarcação e o caminhão pipa coloca”, detalhou. “Se a Secretaria de Agricultura não tomar providências, querendo alienar e fazer uma política arcaica, quando o oficio ser enviado avisa que o Exército vai estar em tal lugar e tal dia, não pode ter essa falta de eficiência da Secretaria de Agricultura”, orientou. “Semana passada o colega Jó, trouxe denuncia em relação ao parcelamento de dívida do INSS da gestão anterior, que agora a gestão atual vai sofrer, sessenta vezes de vinte e três reais, que vai dá mais de 1 milhão de reais”, disse. “A gestão passada foi maquiada, pega uma mulher simples, faz o cabelo, leva numa salão de beleza e ela vai ficar bonita, esse é um exemplo, fez uma gestão maquiada e agora desmascarou a real situação, de uma dívida de quase um milhão e meio e teve que ser falado pois é coisa do passado mais vai refletir nos dias de hoje, que a Prefeita Lydia tome o rumo do município e faça diferente da gestão passada”, continuou. “Muita coisa que seria pra fazer agora não vai fazer, porque o ex-prefeito deixou dívida e essa é nossa preocupação e nossa tristeza”, concluiu.

Arivelton Mota saudou a família enlutada de Adelidio dos Santos, que completou oito dias de seu falecimento, “pedir em nome de Joaninha e Jonatas que dê força para superar a perda”, lamentou. Saudou a Guarda Municipal e disse que estará ao lado desses profissionais, acompanhando o jurídico, sabendo que é de grande importância o registro, “e fazer as coisas com o pé no chão sem nada contra a Lei e que todos possam ser enquadrados de uma mesma forma e do mesmo jeito”, comentou. Parabenizou aos pais pelo passagem da data comemorativa do último domingo. Informou sobre visitas no povoado de Pedras Altas e Peixe, olhando a nova iluminação das praças e algumas ruas e parabenizou a Secretaria de Urbanismo, em nome do Diretor de Iluminação Ivonildo Fúba e sua equipe. Pediu mudanças na iluminação das praças de Caiçara. E convidou para o dia 16 (quarta-feira) comemorar o Padroeiro de São Roque, com eventos na comunidade. A limpeza da banca do açude, onde foi feito a roçagem dos dois lados e as pessoas que moram vizinhos estão agradecidos. “O trabalho do Vereador é fiscalizar, criar Leis e elaborar projetos, mas nós moramos em uma região muito pobre, onde as pessoas dependem dos vereadores, cada um na sua área, e esse também é o nosso papel, entendendo as dificuldades de cada um, me dedico a área de saúde, porque eu gosto, não tenho hora, faço por amor e já tenho costume, antes de ser político já tinha um trabalho da área de saúde”, finalizou.

 

ASCOM Câmara Municipal de Capim Grosso