Lula mantém liderança em pesquisa para a presidência de 2018  

 

Pesquisa da CNT/MDA divulgada nesta terça-feira, 19, mostra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na liderança das intenções de voto para presidente da República em 2018 com 32,2%. O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) vem em seguida com 19,8% e a ex-ministra Marina Silva (REDE) com 12,1%

O levantamento consultou 2.002 pessoas, em 137 municípios de 25 unidades federativas de cinco regiões do país.

Em outro cenário consultado, Lula também está na frente com 32%. Bolsonaro é novamente o segundo mais bem colocado na pesquisa com 19,4%. Marina Silva vem em terceiro lugar com 11,4%. O governador paulista Geraldo Alckmin (PSDB-SP) vem na sequência com 8,7%. Ciro Gomes (PDT) tem 4,6% neste cenário. Brancos e nulos são 19% e indecisos, 4,9%.

No terceiro cenário avaliado pela pesquisa, Lula continua com o melhor desempenho com 32,7% das intenções de voto. Bolsonaro tem 18,4%; Marina Silva, 12%; o prefeito paulistano João Doria (PSDB-SP), 9,4% e Ciro Gomes, 5,2%. Brancos e nulos somam 17,6%. Do total de consultados, 4,7% são indecisos.

Além disso, o ex-presidente Lula lidera as intenções de voto em todos os cenários da pesquisa estimulada.

 

Segundo turno

Foram avaliados 12 cenários possíveis de segundo turno e Lula é que o apresenta o melhor desempenho. Se as eleições fossem hoje, Lula ganharia de Aécio Neves (PSDB-MG), Geraldo Alckmin, João Doria, Jair Bolsonaro e Marina Silva.

Segundo colocado na pesquisa, Bolsonaro venceria no segundo turno os tucanos Alckmin, Aécio e Doria. Já Marina Silva ficaria na frente de Alckmin, Aécio, Doria e Bolsonaro.

A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais com 95% de nível de confiança.

 

Rejeição alta

Todos os pré-candidatos à Presidência tem rejeição que supera os 50%. Aécio é o que apresenta o maior índice com 72,5% de rejeição. Ciro é rejeitado por 64,2% dos consultados. Alckmin tem 56%; Dória, 53,6%; Marina Silva, 52,2% empatada com Bolsonaro. Líder da pesquisa, Lula tem 50,8% de rejeição.

 

Fonte: Gazeta do Povo

Deixe um comentário