Capim Grosso: Vereadores recebem o atual Gerente do Banco do Brasil na última sessão

 

O Presidente Da Câmara, Bruno Vitor, orientou o processo legislativo da sessão de segunda-feira, 12, e disse que já foram feitos melhoramentos nas escolas de Rio do Peixe e Lagedo, e existe uma planilha que indica o atendimento na escola do Km 12, onde também deve ser colocado uma caixa e com encanação a bomba. “Amanhã vou verificar a questão do mato, que já estava pronto para fazer a capina”, completou. Na oportunidade recebeu o novo gerente do Banco do Brasil, Jancenio Souza, que esclareceu situações relativas a horários e atendimentos. 

 

Na sessão da última segunda-feira, na Câmara de Vereadores de Capim Grosso, o atual Gerente do Banco do Brasil, Jancenio Souza disse ter alegria em passar uma temporada à frente do Banco do Brasil, uma cidade importante como Capim Grosso, pujante, economia em desenvolvimento e espera poder contribuir com as forças econômicas para o município, as instituições financeira tem papel importante e eu vou poder estar servindo à comunidade e aos clientes, dentro das possibilidades e normas do Banco. “Me coloco à disposição, sou nordestino mundonovense, acostumado a trabalhar nesta região assim como em outras cidades por onde passei, possa deixar uma marca. Foi questionado sobre o horário de atendimento para extensão até as 21 horas e aos finais de semana, e a demora do atendimento interno. Respondeu em relação ao horário de funcionamento, “estamos vivendo em relação à segurança um momento difícil, mais uma agencia foi sinistrada esse final de semana que chegou pegar fogo no prédio, Mairi, Várzea da Roça, Miguel Calmon e Serrolândia tiveram problemas com explosão e a situação é delicada. Foi criada uma diretoria apenas para cuidar da segurança, em Miguel Calmon funcionava normalmente, mas a Associação Comercial e outras instituições encaminharam um oficio solicitando que a cidade funcionasse como a de Capim Grosso. O prejuízo para a economia no local foi enorme durante o período que a instituição ficou fechada.NRespondeu perguntas e ouviu sugestões da população e dos vereadores.

O Vereador Jó Queiroz disse na sessão de segunda-feira, 12, que alguém pode achar o vereador chato de tanto cobrar, mas são coisas que acontecem que não pode deixar passar. “Semana passada no Colégio Edvaldo, aquilo não existe, falta de respeito, alunos do ano passado junto com professores foram fazer uma surpresa e a diretora não aceitou fazer lá dentro, e fizeram na rua, passei na hora e vi,  pedi a presença do secretário  que esteve lá, mas infelizmente também não resolve nada, é o dinheiro mais mal pago e não tenho medo de falar, coisas simples e não resolve, marquei reunião para o outro dia às 15 horas, ele não compareceu e ainda disse que a prefeita não estava, e a prefeita estava no gabinete atendendo”, reclamou. “A prefeita tem que entender, quem manda é ela e tomar providência na questão, tem uma Lei nessa Casa aprovada para eleição de diretor de escola e quem vota é professor e pai de aluno e nunca foi cumprida porquê? são cargo político e indicação de quem?”, perguntou. “Não fica um coordenador na escola, o que tinha que dá já deu, estou mandando um ofício para ver a questão, se não resolver irei entrar no Ministério Público e denunciar, o professor tem que ter o respeito como qualquer outro funcionário e quem está comandando também tem que respeitar”, concluiu.

O Vice Presidente da Câmara de Vereadores, Arivelton Mota, usou a tribuna na sessão desta segunda-feira, 12, e aproveitou a presença do gerente do Banco do Brasil e comentou sobre a fila no caixa eletrônico, e que o gerente possa resolver e evitar desgastes, “as pessoas tem razão de cobrar por conta do dia a dia”, continuou. Comentou sobre os povoados e deixou os sentimentos à família da pequena Jane kelly, onde participou do sepultamento e percebeu a tristeza dos pais e amigos, “tenho confiança e acredito na justiça, confiando na Polícia Civil, Militar e Ministério Público, peço as autoridades que descubram esses assassinos e que isso não venha acontecer mais em Capim Grosso, sendo o primeiro caso que aconteceu com uma criança inocente e vamos cobrar para que possam pegar os meliantes”, cobrou.

O Vereador Nem da Pastoral, (Jailson Matos), utilizou da tribuna da Câmara, nesta segunda-feira, 12, para falar sobre hemodiálise, trouxe um usuário do serviço e explicou que é feito dia sim e dia não, e é preciso um carro confortável, aproveitando a oportunidade para agradecer a Secretaria de Transporte que sempre levou essas pessoas, e agora são 21 pacientes de Capim Grosso que fazem hemodiálise, então precisa de carro exclusivo. Clovis Pedreira, acompanhou o legislador e utilizou a palavra junto à Nem e disse que as vezes a viagem é desgastante, o paciente sofre com tratamento então tem que ser um carro bom. Agradeceu a prefeita Lydia que disponibiliza o transporte, mas explicou que é estressante, muitas vezes por conta que o carro é apertado. Nem da Pastoral Também comentou sobre um sonho que é a Agencia da Previdência, e foi até Juazeiro cobrar, levando vídeos de pessoas idosas e com limitações, crianças especiais, e disse que já estava aprovado e hoje entregaram quatro agencias em comando a Juazeiro e que até abril, pode abrir a agencia de Capim Grosso.

O Vereador Samoel Moto Taxi, na sessão da última segunda-feira, 12, disse ser uma semana de muita tristeza e a comunidade lamentou perdas grandes como a pequena kelly. Um trágico acidente de moto, “nosso amigo Zé Pesão, também faleceu, sabemos o momento de dor e sofrimento que as famílias passam nesse momento”, solidarizou. Disse que espera que a polícia dê uma resposta a sociedade em ralação ao caso de Kelly. Pediu requerimento verbal, para que a prefeitura seda à empresa Sinae, as maquinas para que possam concluir o curso. Reforçou a fala do vereador Jó, “e até quando os municípios irão continuar com essa forma de colocar diretores de escolas e creches de nomeações?”, perguntou, esclarecendo que não está falando que os diretores não têm competência. “O que estamos pedindo é que cumpram a Lei, mas não fazem porque barganham política, família tal deu 20 votos, e quem perde com isso são os alunos, tem professor que está na sala de aula que poderia estar na direção e vice versa, não se cumpre a Lei, passa por cima”, reclamou. “Eu vou citar aqui, achei uma vergonha, um aluno pediu pra fazer uma homenagem e foi negado, fizeram na calçada, achei um absurdo, não sei qual o problema do aluno com a direção da escola, só sei que foi uma vergonha, tentei falar com os secretário, uma simples homenagem e acontecer um fato desse”, continuou. “Estivemos na escola do KM 12 conhecida com Ivo Luciano, vem sofrendo há muito tempo, um aluno tem que conviver com matagal atrás, e há mais de cinco anos pedindo uma descarga no vaso sanitário, cada criança que faz a necessidade a zeladora joga um balde de água, não tem descarga”, reclamou. “É uma vergonha, em pleno século XXI estou falando porque já estive lá”, afirmou. Reclamou da merenda escolar da zona rural, muitas crianças vão sem o café, chega de manhã até meio dia, isso foi o ano passado, “acredito que deveria ser modificada e reforçada, e que o secretário olhe por este lado, que a zona rural precisa de atenção especial”, concluiu.

O parlamentar municipal Gilberto Alves, na sessão de segunda-feira, 12, disse que no povoado do Peixe, depois das chuvas as ruas ficaram esburacadas, então pediu ao Secretário de Urbanismo, Edezio Nascimento, que envie um material e a patrol para fazer os melhoramentos. Disse que está em andamento o projeto de construção da praça da comunidade de Melancias e aproveitou para pedir a iluminação do ponto de ônibus do local. Informou que algumas regiões as chuvas não chegaram, sendo necessário a continuidade do trabalho de distribuição de água através do carro pipa.

 

O Vereador Nanal Vilas Boas falou nesta segunda-feira, 12, que o fim de semana foi lamentável, violência desumana que atende todo país, e Capim Grosso não foi diferente, com o falecimento da pequena Kelly. Também faleceu o irmão de João da Pizza e a todos os familiares o conforto de Deus e os sentimentos. Acabara de receber a moção de pesar os parentes de Renato, Guarda Municipal, “tenho fortes lembranças como juiz de futebol, conforme memorização em sessão, sobre sua afinidade e como conduzia a pasta arbitral com competência e coragem”, comentou. “Na última quinta-feira, tivemos Lucas, Samoel e eu, em reunião com os servidores públicos municipais, os quais reivindicaram adicionais de salubridade e periculosidade e registro da  guarda, deve se ouvir os que buscam os seus direitos, esse sindicato tem tanto lutado e mencionei na reunião que a maior virtude do sindicato é a teimosia e para atuar é preciso isso, e foi acordado no dia 1 de fevereiro que a gestora transparecesse os relatórios para que os representantes pudessem de fato entender a real situação do município se pudesse ou não pagar”, cobrou.  “Dia 8 não foi demonstrado, a equipe de finanças se recusou, é preciso que haja transparência se tratando ainda onde é dever de quem assume o poder público, transparecer para que se reclame com instrumentos qualitativos judicialmente se buscando”, continuou. “Em épocas anteriores não foi diferente, foi uma luta que vai perpetuar, mas é preciso transparência, precisamos reclamar com propriedade e instrumento da verdade”, explicou. Disse que a pergunta que fez ao gerente do Banco do Brasil é em nome de toda população e em momento oportuno estará na gerencia para conversar sobre o assunto, “qual a diferença do banco do Brasil, aos demais bancos?”. “A população acha que a gestora e os vereadores são culpados, não entendem os limites do legislativo e executivo”, relatou.  “A chuva traz alegria e fertilidade, mas também traz   transtorno como lamaceira e buracos, e já pedi ao secretário, quando cair uma chuva dessa grandeza pegue sua equipe para verificar o lamaçal que provoca”, disse. “Coloque mais entulho e chapada nas ruas onde a necessidade é maior, ao invés de aterrar terrenos particulares, nós estamos pagando para a Servcom, faça o recolhimento e porque não distribuir em locais públicos para amenizar o lamaçal, e que se haja mais patrolamento nas estradas rurais e ruas da sede com avenida Santo Amaro”, lembrou. Ampliou a cobrança do carro exclusivo para hemodiálise, mas que tivesse um carro para pacientes especiais também.

Na sessão da última última segunda-feira, 12, o Vereador Jefferson Ferreira, falou sobre as indicações de sua autoria, que tramitam na Casa, pedindo melhoramento e duplicação da Avenida Leonicio Ferreira, e a outra da pavimentação asfáltica da Avenida Ruy Barbosa. Falou também sobre a municipalização do trânsito, que com pesquisas e análises já identificou que a Av. Tancredo Neves ficará mão única e por conta disso a Ruy Barbosa precisa de pavimentação e a Leonicio melhorar e dá cara nova, duplicando e melhorando o acesso à cidade. Disse que comunga do mesmo sentimento dos vereadores em relação ao incidente no colégio Edvaldo e parabenizou a gestora que atendeu os funcionários da escola, tendo convocado a direção para uma reunião. “A chuva é muito boa mas traz transtorno, rodei os bairros José Mendes, Jardim Formosa, Estação da Luz, Novo Oeste e Planaltino e precisa agir o quanto antes para minimizar os problemas, onde foi feito a terraplanagem e revestimento com pó de brita estavam perfeitas”, informou. Pediu a gestão que possa fazer o paliativo já que não consegue calçar todas as ruas que a demanda é muito grande. Relatou que esteve visitando a obra do Bairro Água Nova, em parceria do Legislativo e Executivo, bem encaminhada e avaliou a qualidade. Esteve também em Pedras Altas, onde está sendo construída uma praça e melhoramento da avenida. “Queremos dizer à população capimgrossense que mesmo fazendo parte da situação e lider da bancada e todos os vereadores da situação têm cobrado e conversado com os secretários e precisam mostrar alguma situação na tribuna, na rua Daniel Mendes de Queiroz é complicadíssima, nenhuma acessibilidade e nós precisamos fazer um serviço”, concluiu, pedindo requerimento verbal para melhoramento com aterro, “e as pessoas não têm como acessar aos seus imóveis”.

O Vereador Antônio Martinho, na sessão desta segunda-feira, 12, iniciou com os sentimentos aos familiares da menina kelly e da família de Zé Pesão, “procure Deus e encontrar força para suportar um momento de dor, enquanto militante de igreja católica estamos celebrando a procissão de Cristo rumo ao Calvário, aquele que a gente acredita que irá nos salvar, também sofreu”, lembrou. Parabenizou Jancenio Souza, pela presença e explanação demonstrando boa vontade em ajudar na gestão da agencia do BB. Encaminhou um requerimento para a gestão municipal cobrando informação com relação ao Projeto de Lei que regulamenta a Guarda Municipal, pois recentemente se ouvia muitas informações, e iniciou os trabalhos e o projeto não chega, depois aparece e coloca de urgência ou emergência, “é preciso ler, compreender e entender, e se precisar ter interferência nossa ou da guarda ter tempo hábil para isso, então espero que na próxima sessão tenhamos andamento desse projeto”, cobrou. Agradeceu a gestão sobre o requerimento da sessão passada e viu agricultores moradores da região de Lajedinho e Mucambo pois as maquinas chegaram para diminuir as interdições da estradas, e aproveitou para alertas sobre o entulho que no futuro próximo as pessoas irão retirar e as ruas e estradas é que irão sofrer com a má distribuição, com esses restos de construção, “há três anos fizeram recuperação no Riacho de seu Edezio, o açude de Água Nova passa por esta região quando sangra, e ao colocar o resto de construção parece um asfalto e que chova ou faça sol se permite as pessoas trafegaram”, contou. Explicou que riacho não suporta cascalho, talvez seja preciso refazer o serviço de acordo a humidade do solo. Informou que esteve com a Secretaria de Saúde, cobrando informações de projeto importante que é a farmácia básica e um ponto fixo para distribuição de remédios, “toda euforia criada e até hoje o projeto não nasceu, informando que tem mais de 32 mil reais para a construção e que necessita apenas o Conselho Municipal de Saúde autorizar a construção. Cobrou agilidade no projeto que existe o recurso especifico dos PSF o chamado ipmac, de acordo o projeto cada PSF garante repasse extra para melhorais físicas e ser diluído isso nos salários para estímulos das pessoas envolvidas naquele serviço.

 

Deixe um comentário