Vereadores aprovam financiamento de cinco milhões para calçamento do Bairro Planaltino

A sessão da última segunda-feira feira, 19, foi conduzida pelo Vice Presidente da Casa, Arivelton Mota, informando que três médicos cirurgiões atendem em Capim Grosso no Hospital IGH, com cerca de oitenta atendimentos mensais, com esperanças de aumentarem esses números. Na sequência aconteceu a votação e aprovação da ata da reunião anterior e apresentação da Ordem do Dia, com indicações importantes para melhoria da qualidade de vida dos munícipes.

 

O Vereador Antonio Martinho, disse que nas últimas semanas obteve informações da Adab, sobre inadimplência dos produtores concernente a vacina de brucelose, que contaminando o ser humano será um portador por toda a vida. Informou que se aproximava de mil bezerros, somando média de 200 produtores com cadastros cancelados e foi pedido o seu apoio na ajuda da vacinação, mas, o problema é emissão de receituários que devem ser feitos por veterinários credenciados à Adab, credenciando Dra Jeane Oliveira, consequentemente garantindo o bem estar do produtor. “É um alívio, pois é constrangedor quando se chega no posto da Adab para emitir a guia de venda ou compra e os produtores estão nesta situação, esperamos que com Dra Jeane facilitará acesso, e o índice foi baixado para média de 50%”, disse. Comentou que se envolveu na vacinação junto à outros que são habilitados na prática para garantir o bem estar do povo.  “É preciso compreender que o corpo da Adab está funcionando em Capim Grosso graças a Diniz, funcionário cedido pelo município e assessorado pela Adab, pois se não, não teria ninguém e a situação seria pior”, explicou. “A alegria ficou por conta da assinatura do empréstimo de aproximadamente cinco milhões de reais para calçamento das 18 ruas do Bairro Planaltino e que 2019 se inicie com esse dinheiro sendo liberado para diminuir atritos e conflitos da população, em especial com a natureza, quando chove é lama e quando seca é poeira”, adiantou. “O presidente de Cuba tomou posicionamento e a médica que iria trabalhar no Planaltino deixara o país, por situações divergentes dentro da política administrativa e gostaria de encaminhar uma moção de aplausos para a importante servidora que tem trabalhado com muita dedicação para atender aquele bairro e as comunidades abrangentes, dia 04 de dezembro já pega e voou e quem sabe na próxima semana ela se apresenta na Câmara de Vereadores para receber”, completou. Fez requerimento verbal solicitando providencia da presa quebrada na comunidade de Lagedo, desde o rompimento da trincheira tem vazamento e por conta disso em breve tempo tem baixado significativamente inclusive está quase seca e aproveitar a máquina do Pac que tem essa função e tentar sanar o problema e garantiria água por mais tempo, está comunidade tem sido abastecida por carro pipa.

 

O Vereador Jamber Dantas, comunicou que esteve levantando informações no tocante as lâmpadas que são repostas e está fazendo cobranças a gestão para que se intensifique a cobrança ao fornecedor sobre a garantia. “Entendo o esforço, mas que em vários lugares as lâmpadas foram trocadas e a durabilidade foi questionada, que o fornecedor possa estar dando explicações, iremos intensificar a fiscalização pois não podemos deixar que a gestão sofra cobranças e críticas por parte dos munícipes que pagam a iluminação pública e pouco tempo as lâmpadas apresentam defeitos”. Comentou sobre a liberação do financiamento de quase cinco milhões de reais que serão aplicados na pavimentação do planaltino, “um sonho da população e um papel importante da Câmara de Vereadores e eu tive a felicidade de apresentar o projeto de liberação da linha de crédito e todos os vereadores aprovaram, e conseguimos o financiamento e o Bairro Planaltino irá receber a pavimentação de 18 ruas, e quando fomos pedir votos, era o clamor e preocupação com a pavimentação e poucos dias após ter ganho as eleições fui entrevistado pela Folha Bahia News e a pergunta crucial foi a obra que mais se engajaria e respondi que seria as condições que Capim Grosso pudesse conseguir recursos para pavimentar o máximo de ruas, entendo e que devemos combater as críticas, para que financiamento? O povo espera uma grande ação há muito tempo e não deveríamos deixar passar a oportunidade para contemplar a cidade”, respondeu. Parabenizou a Prefeita Lydia Pinheiro e a Câmara de Vereadores, e será repassado a prefeitura em 10 meses, e 96 meses para quitar com dois anos de carência para começar a pagar, 75% do bairro será pavimentado e um detalhe importante, é que o município de Capim Grosso foi o único que conseguiu o empréstimo, porque a gestão trata o financeiro de maneira séria”, explicou. “Temos a tranquilidade e o prazer de dizer que a Câmara de Vereadores de maneira acertada ajudou muito a dar um passo importante para o progresso daquela área, inclusive com recursos próprios, emenda parlamentares e do Governo do Estado e agora a pavimentação destas 18 ruas, o Tesouro Nacional permitiu o aumento do valor do financiamento, mas para não cometer erro, por não saber o que o futuro nos espera, quem ganhará com isso é o município”, completou. “Era oração para que o empréstimo pudesse sair, e manter o compromisso através de recursos próprios e abranger os outros bairros e com compromisso de ter feito o maior investimento de pavimentação em Capim Grosso”, concluiu.

 

O Vereador Samoel Moto Taxi, iniciou falando sobre a convocação do Diretor do hospital IGH, Jarbas Oliveira, em saber as dificuldades da gestante em ter seus bebês Capim Grosso, então, é aguardar que ele venha dar explicações, “pois o que relatei são reclames de gestantes, clamando socorro, e tenho certeza que cada vereador ouve esses reclames”, disse. Esteve na UPA antes da sessão e observou que também existe a dificuldade de transferir pacientes para o hospital, “até isso a UPA enfrenta dificuldade, é inadmissível ouvir todo dia uma pessoa pedir socorro, tem setor que já manda procurar vereador, absurdo, tem que cada um assumir sua responsabilidade, estamos aqui para legislar, atendemos a população sim, pois não vamos deixar ninguém morrer, mas a UPA faz a obrigação dela, a secretária faz a obrigação dela”, explicou. “É tão bonito o direito da gestante que o SUS diz que tem e enfrenta dificuldades em seus próprios municípios”, relatou. “É preciso encontrar uma solução, a maioria aqui são pais, mulheres presentes, e não tem nada mais gratificante que uma mãe dar luz em lugar tranquilo, sem passar constrangimento e aqui as mães estão com medo de ganhar seus bebês”, adiantou. “A prefeita precisa urgente contratar cirurgiões para a cidade, todo tipo de cirurgia tem que mandar para fora, o povo está sofrendo, qualquer cirurgia é regulação, o município tem que se preocupar com seus munícipes, quando vem algo bom todos os prefeitos soltam fogos, quando acontece alguma coisa, diz que é reponsabilidade deles”. “As pessoas nos acompanham nas redes sociais e pela Rádio Contorno FM, nos encontram na rua e falam as dificuldades que estão passando e o discurso que bate na mesa e diz que é mil maravilhas eu acho demagogo, vou aguardar ansioso cada declaração do diretor do hospital”, declarou. Cobrou explicação sobre a pavimentação da Rua Angelita Queiroz. Disse que visitou alguns setores e que no setor pessoal existem indícios de problemas, inclusive pediu para que tenha acesso aos últimos relatórios, principalmente dos últimos seis meses, pediu ainda, envio de documentos para recebimentos de relatórios, “é obrigação fiscalizar, tem muita coisa para acompanhar, mas esse tipo de situação à Casa tem que requerer, se houve denuncia nenhuma secretaria tem que negar, ou faz com transparência ou fecha às portas e não precisa mais de vereadores em Capim Grosso. Tem coisa errada e não podemos fazer vistas grossas”, completou. “Vou fiscalizar e denunciar o que estiver errado, vou apoiar o que estiver certo”. “É bom calçar a rua, mas, não venham pegar um empréstimo e colocar como promessa de campanha, de calçar uma rua por mês”, finalizou.

 

O Vereador Nanal Vilas Boas, disse que estudou no Cnec e aprendeu que a disciplina Ciências Humanas tem o nome Professora Dalva e em nome daquela geração, registrou os sentimentos e gratidão, a saudosa professora. Também lamentou o falecimento de José Pereira de Sousa, conhecido como Zezinho.  Falou sobre a indicação propositada a pedido dos habitantes do Bairro Planaltino e visão técnica do Departamento de Trânsito que acompanhou para ter a análise e faz necessário uma rampa na escadaria que da conexão com o Bairro Novo Horizonte, “e os cadeirantes muitas vezes conduzidos por alguém, precisa de um local mais especifico e uma rampa com iluminação daria mais segurança e à noite às vezes está muito escuro e as pessoas que transitam se dizem amedrontadas, a reforma da escadaria já é visível há muito tempo”, e apelou para que a gestão se sensibilize pela indicação. Falou sobre moradores e desportistas do Povoado do Peixe para que fosse amenizada a situação entre a quadra esportiva e moradores, cada dia que passa aumenta os prejuízos, “ainda há tempo de se cobrir com uma rede, para que impeça os transtornos entre comunidade e jovens esportistas, fica difícil uma situação como essa, como jovens futebolistas deixem de praticar o esporte e o poder público fica inerte?”, perguntou. Falou saber do trabalho do Vereador Gilberto, mas é obrigação da gestão. Ouviu atentamente os vereadores e parabenizou Antonio Martinho pela moção de aplausos à medica em nome dos médicos cubanos, trazendo sentimento de gratidão, “antes dos médicos cubanos vierem ao pais, senhores médicos que tem um serviço imprescindível, havia sim exploração, inclusive por preços, e dizem não querer ir ao interior e nem tal cidade, São Gabriel em Roraima, foi dobrado o valor, e os médicos se renunciavam, um absurdo, enquanto os cubanos têm repassado  serviço sacerdotal, pois na cultura socialista tem amparo sacerdotal de dever para a vida do cidadão e terá minha assinatura”, explicou. “Quanto ao calçamento do Bairro Planaltino, aplauso quanto ao povo planaltinense, precisando ter cuidado com contratos para que isso não venha inviabilizar o município em anos vindouros, um tempo de carência de 24 meses para frente, quando está gestão estiver findando, entra a outra já com o ônus, aqui já teve empréstimo que se eu fosse vereador talvez não simpatizasse por conta do longo financiamento”, disse. “Não precisamos de um Dia da Consciência Negra, branca, parda, amarela, albino, precisamos de 965 dias de consciência humana, como disse Tiago Saraiva”, concluiu.

 

O Vereador Nem da Pastoral disse não concordar com a fala de alguns vereadores, pois, se lutou para que viesse os 5 milhões de reais para calçamento no Planaltino, várias viagens foram feitas à Salvador, junto ao Senador Otto Alencar, prefeita Lydia pinheiro  e a luta dos 11 vereadores, mas, “teve turma que cai dentro pedindo e veio, se tem carência de dois anos quem vai pagar é o povo, se é recurso próprio também é o povo quem vai pagar, só muda o gestor, à partir de janeiro venha se concretizar e  que comece logo as licitações e nós temos obrigação de fiscalizar e foi apoio da Câmara de Vereadores”, comentou. Disse aos morados do Planaltino que foi um esforço grande da Prefeita Lydia e Senador Otto, que tiveram o apoio dos vereadores que aprovaram o projeto, o vereador tem o seu prestigio, serão 18 ruas calçadas”, disse.  “Dr pinheiro é o líder maior e infelizmente o segundo maior líder que é Dr Itamar, falou que a oposição procure suas lideranças que ele não será mais candidato, uma eleição precisa de oposição forte, e tenho certeza que vai aparecer liderança nova em Capim Grosso, Itamar deixou claro que não será mais candidato em Capim Grosso”, completou. “Apoio a busca dos relatórios do setor de Recursos Humanos para fiscalização”, concluiu.

 

ASCOM CMV