Financiamento da pavimentação do Bairro Planaltino foi de responsabilidade dos vereadores

Na sessão da última segunda-feira, 26, a Câmara de Vereadores de Capim Grosso, debateu sobre a expectativa do início das obras de calçamento do Bairro Planaltino e outros localidades. Também outros assuntos foram inseridos na pauta e o Presidente da Casa, Bruno Vitor, no uso da palavra, disse que é obrigação e dever dos vereadores fazerem cobranças à gestão pública. Relatou que soube de alguns comentários da sessão passada e ouviu perguntas das pessoas na rua, “o peso da palavra doe mais que um tapa”. Explicou que houve uma denúncia contra uma funcionária, relatando o cronograma da acusação e leu as datas de cada andamento até o banco retornando as informações e a gestão pública emite parecer pedindo afastamento da funcionária por 60 dias. “O limite da Câmara não pode ultrapassar o limite do Executivo, o próprio Ministério Público enquanto não há uma denúncia não se manifesta, tudo tem seu tempo, cabe o vereador fiscalizar, o município está apurando os fatos, para formar comissão e da parecer e essa Casa vai atuar”, comentou. Disse que vereadores na maioria das vezes é massacrado por repórteres, sendo difícil ter coragem de elogiar e a Casa está de parabéns, as ações tem a participação dos vereadores, o empréstimo de Cinco Milhões de Reais precisou da coragem de colocar a caneta e assumir seu lado de responsabilidade, mas quando se fala que vai chegar o calçamento, é importante o internauta saber que saiu desta Casa a coragem de fazer o empréstimo , para um bairro importante como o Planaltino, se fosse em outro lugar o Planaltino já era cidade pela quantidade de habitantes”, completou. Informou que as contas da Câmara de Vereadores referentes a 2017 foram aprovadas, em trabalho de competência e união de equipe e responsabilidade com dinheiro público.

 

O Vereador Lucas Maciel, disse que recebe reclamações do Bairro Jardim Formosa, sobre a falta de eficiência dos Correios que não entregam correspondências, local populoso que faz parte de Capim Grosso e precisa de atenção de todo Poder Público principalmente do Correio. “Não é a primeira vez que eu ouço que o Jardim Formosa não recebe correspondência, um bairro que no período que do Prefeito João do Couro levou casas populares e posto de saúde”, adiantou. Pediu que fosse enviado ofício ao Correio, para que se justifiquem ou respondam por que não entregam correspondências no local, indicando que vai denunciar outros órgão de defesa da sociedade, “o cidadão paga tanto imposto e uma simples correspondência não recebe naquele bairro”, cobrou. “Se precisar de funcionário é uma estatal grandiosa pode contratar”, pontuou. Sobre a Moção de Aplauso que tramita na Casa de sua autoria, comentou ficar à vontade em fazer, pelo Gerente da Caixa se tratar de um cidadão público honrado que presta serviço, o senhor Antonio de Deus, que em 2011 era gerente em Senhor do Bonfim, com visão de negócio e financeira viu que Capim Grosso precisava de uma agência da Caixa Econômica e fez contatos com os gestores e a superintendência e foi comprado terreno e construída agência e hoje milhares de pessoas já foram atendidas, com sua equipe externa, cerca de 200 pessoa fazem sua poupança e cerca de quatro mil pessoa são bem atendidas com segurança, no seguro desemprego, PIS e outros serviços. “Por saber seu valor e esforço não poderia deixar de fazer um reconhecimento como esse, além disso, há pouco tempo a prefeita assinou o contrato de financiamento no valor de cinco milhões de reais para o Bairro Planaltino, prefeita que vem realizando sonhos e entregando quadras esportivas e casas populares, acertou ao assinar o convênio, e o senhor Antonio de Deus, com sua equipe fez muito esforço para que este empréstimo possa ser assinado e o Planaltino possa ser calçado.

 

O Vereador Antonio Martinho, falou sobre o Novembro Azul, importante para os homens as campanhas incorporados com médicos, porém, reclamou que em Capim Grosso acontece o contrário no município, pois o urologista foi exonerado pela prefeitura justificando que precisa fechar as contas. “Fecha as contas e o povo pode morrer, o homem em especial pode sofrer as dores desse câncer que tem matado tanto, então estamos na contra mão, deveria estar contratando outras equipes para que as pessoas tivessem mais acesso”, adiantou. “Não é esse médico que irá aumentar as contas de pessoal, se fosse assim teria que tirar muita gente que está sem fazer nada, e um servidor a serviço da sociedade a gestão tira justificando um fechamento de contas, outras nomeações ainda não tiraram e não serão tiradas, por conta das pressões que ainda devem ser sofridas”, comentou. “Quando a gente agradece a Deus pelas chuvas precisa fazer uma contradição porque acredito que os colegas tem recebido informações que no ano de 2018 não temos uma aguada limpa pela gestão, com duas máquinas do PAC com essa especificidade para isso e ganhamos mais duas e não temos aguadas limpas, o médico é exonerado para fechar as contas e uma aguada limpa não temos, por isso que há um furdunço na cidade e a gestão abriu um processo administrativo e não foi só essa torneira que secou a fonte, temos feito sempre essa crítica, e foi autorizada a criação da Secretária de Planejamento com uma vida de três meses e alguém que deveria estar lá para nortear os recursos a gestão entende que não é interessante, não limpamos aguadas públicas, tiramos ortopedista e urologista e dentre outros serviços, mas, nomeações indicadas por vereador e secretário, indicados por outras pessoas que não contribuem para a qualidade de vida das pessoas, não tem sido tirada da folha de pagamento”, completou. “Um projeto muito bem feito que na pratica não está funcionando, existe um agendamento para Salvador e tem criado transtorno abusivo com os cidadãos, muitas vezes as consultas são liberadas de mediato e na secretaria de saúde existe uma ordem que só pode agendar com no mínimo de oito dias, isso precisa ser mudado e quando se consegue nem sempre consegue transporte para levar o povo”, explicou.

 

O Vereador Jó Queiroz, disse que na sessão passada falou-se sobre os Cinco Milhões de Reais, do empréstimo do Bairro Planaltino, veio da prefeitura, votado por todos os vereadores, e vai beneficiar aquela população, “sabemos que não vai suprir todo o bairro, mas imagina 18 ruas calçadas”, disse. “Assim como faltam ruas em outros bairros, mas o papel do vereador é cobrar, em todas as reuniões estamos pedindo e explicando sobre as dificuldade em Capim Grosso e as coisas que estão precisando”, colocou. “É preciso buscar emendas dos deputados que foram votados em Capim Grosso, votamos sim em Alex da Piatã e precisamos buscar emenda para nossa terra, foi votado para isso, para nos ajudar nessa parte”, cobrou. “Dos setecentos mil reais em investimento no Bairro Angelita Queiroz, também precisa fazer na Rua José Oliveira que está muito esburacada, até chegar na creche”, lembrou. “Não pode ficar nenhum mês sem médico, na sessão passada pedi ortopedista e ginecologista, sabemos das dificuldades nem só aqui, mas em toda região”, concluiu.

 

O Vereador Samoel Moto Taxi, disse que é vergonhoso o que presenciou na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) semana passada cumprindo seu papel de fiscalizador. “Um vereador mandar um ofício para pedir um cifrão de um pia da sala de sutura, um profissional se sujeitar fazer um curativo aparando sangue no balde, sala de raio x, sem fechadura passando radiação para os corredores, um desfibrilador sem bateria que salva vidas, é vergonhoso um assunto desse na tribuna, se brinca com a saúde das pessoas”, disse. “Fizemos uma convocação para o diretor do hospital e não compareceu, a UPA continua sofrendo para transferir pacientes ao hospital, vergonhoso demais”, adiantou. “Gestantes antigamente choravam por causa da dor, agora as de Capim Grosso choram atrás de uma vaga para pari”, completou. “É uma vergonha, a prefeitura não tem coragem de cortar os cargos de padrinhos políticos, cortam do transporte de Salvador para quem vai fazer exame, se aqui não tem, a contrapartida é dar o carro, agora cortar para fechar as contas, porque não corta as regalias e alugueis de empresários que apoiou o grupo político”, reclamou. “É o povo que tem que ficar sofrendo, ninguém pode adoecer em dezembro que não tem carro para Salvador, vergonha no município, falta planejamento, toda gestão é assim, final do ano tira”, comentou. “O emprego é bom, mas, a prefeitura não é cabine de emprego, tem que respeitar os funcionários públicos, que não recebem insalubridade por causa dessa cheia, não existe isso, falo com propriedade, nunca se houve pelo menos da época que sou vereador, situação difícil como agora na saúde, não estou jogando para a torcida a verdade prevalece em qualquer lugar, toda semana acontece a mesma coisa, o descaso com às gestantes”, denunciou. “A semana passada pedi um relatório do setor pessoal porque é notório, é alarmante o que acontece, não recebi para comparar com o do TCM, não chegou ainda em minhas mãos, um descaso enorme e maior ainda vai ficar, perdeu-se o controle, algumas secretarias perderam o controle, não se limpa uma aguada, a saúde acabando e ainda cortar gasto do povo para fechar as contas, estão brincando com a saúde do povo, ainda ouvir vereador falar que Samoel está com estrelismo, porque não sabe o que é a pessoa sofrendo para não perder o exame de alta complexidade, se a prefeitura negar o relatório vou pedir ao TCM, uma coisa que posso afirmar é que o descaso é grande e quero reforçar novamente a convocação do diretor do hospital, estou me colocando na dor das pessoas, na minha situação que não tenho o direito de minha filha ter o registro capimgrossense, pois nasceu em Miguel Calmon, toda hora chega um bebê com essa situação, se tua especialidade era para estar contratando e para fazer gostinhos de padrinhos políticos e regalias cortam na carne”, relatou. Pediu requerimento sobre o recolhimento da feira livre por que a prefeitura não informa valores e nem para onde vai, falta transparência para dizer que é uma gestão, está perdida e um descaso total, quem fala não é Samoel, é notório, é gente enriquecendo, e os quatro cantos da cidade as pessoas perguntam quem é a prefeita de Capim Grosso”, finalizou.

 

O Vereador Jamber Dantas, alertou a Secretaria de Educação para falta de material no Naepi (Núcleo de Apoio à Educação Especial na Perspectiva Inclusiva) de que é importante para desenvolvimento do trabalho. Também falou sobre a felicidade do homem do campo pela chuva que caiu no município. “O que me trouxe à tribuna é para convidar os colegas para que possam unir-se e juntos com a prefeita irmos buscar os Deputados, Senadores e Governo do Estado, que possa resolver de vez a problemática da enchente da Avenida ACM quando as chuvas fortes caem sob a terra, e esses problemas existem. “As obras do canal da lagoa foram muito bem feitas e aprova é que funcionou e que agora é necessário uma obra grande na AV. ACM, muitos comércios são afetados e os prejuízos são grandes e se temem pela saúde financeira dos empresários, mais ainda, a saúde financeira dos empregados daqueles comércios, que o vereadores possam estar juntos”, pontuou. “Tivemos uma Moção de Aplausos e de maneira acertada indicações e uma por ter participação direta na liberação dos recursos à frente da Caixa Econômica e também a médica cubana, a qual deixa a comunidade triste pela sua partida, mas alegre em saber que a profissional passou por aqui e de maneira brilhante”. Chamou atenção do setor de obras e urbanismo para uma quantidade de terra que está acumulada em uma área da prefeitura no Bairro Jardim Formosa em frente a chácara de Adonias, estive visitando o bairro e de fato o problema é sério e que a prefeitura possa fazer a retirada”, cobrou. Disse que também esteve na UPA e percebeu que de fato existem algumas coisas que não estão funcionando e não podem ficar assim e o diretor extremamente competente e cuidadoso, Paulo Sampaio, há mais de 60 dias já teria pedido para que que reparos pudessem ser feitos, como outras necessidades que lá tem e que não teria sido atendido, as cobranças são justas e nós temos o papel de fiscalizar e intensificar as cobranças”, concluiu.

 

O Vereador Nanal Vilas Boas, falou sobre a tarifa de energia paga pelos contribuintes com receita vinculada todos os meses, uma média de 60 mil reais, o que chama a atenção é a falta de acompanhamento da iluminação pública em toda a cidade e uma receita que não se ver nada quando se busca na divisão da secretaria de urbanismo, é que se comprou apenas 5 mil reais e com uma receita de 60,000.00 mil, “é claro que existe outras indicações para que se aplique, fiz este requerimento pedindo que a secretaria competente diga onde se aplica 60 mil reais todo mês, por que o destino tem que ser só um, que é a iluminação pública que nós pagamos mensalmente e indispensavelmente”, cobrou. Outro ponto que chamou atenção foi sobre os Correios para o Jardim Formosa, e outros bairros da cidade, “o município tem que fazer sua parte com indicações de placas, onde nós temos funcionários à disposição, e ai sim cobrarmos efetividade dos Correios, estamos entrando mais um ano no vermelho e esse ano pior que o anterior e mesmo assim não aprendemos com as quedas, qualquer empresa por menor que exista o planejamento é fundamental, a prefeitura não tem o interesse de planejar ações e aquilo que é de interesse público do que é ação prioritária e planejamento entre sim, com visão e normas técnicas que qualquer administração precisa fazer”, explicou. “Já se aproxima de 700,000.00 mil reais o gasto do São João, e agora vai deixar muito mais de restos a pagar para o ano vindouro”, informou. “Vou dizer o cumulo do absurdo, quarta-feira à noite com amigos esportistas para constatar a pedido de moradores do povoado do Peixe, algo obvio dizia que a primeira chuva que tivesse iriam jogar futebol aquático, a quadra ficou inundada, a autoridade permitiu que um engenheiro fizesse um trabalho desses, qualquer criança de 07 ou 08 anos percebia que a primeira chuva iria algar, saiu a água e ficou a inundação da terra, como nós não temos planejamento e secretaria que acompanha as ações públicas permitiu que se fizesse aquilo, um desrespeito com os moradores e desportistas, foi uma obra eleitoreira, 210 mil reais, sem rede e tela de proteção e pode fazer a vistoria e o vereador Gilberto pode desmentir se eu tiver equivocado, mas a confusão com moradores vizinhos está cada vez mais aumentando, pois, não há proteção e a bola acaba se chocando com casas, carros e antenas parabólicas”, relatou.

 

O Vereador Gilberto Alves, disse que as críticas ajuda o vereador e a administração e falou que os vídeos publicas falando da quadra, o local não é do vereador Gilberto e nem é da Prefeita Lydia e sim dos esportistas, as cobranças precisam ser feitas, a prefeita autoriza e o secretário não cumpre com a obrigação. “O secretário Edmario faz um papel brilhante”, disse. Cobrou da prefeita a tão sonhada praça da comunidade de Melancias, e comentou estar feliz em fazer parte da gestão e a prefeita está fazendo um trabalho entre as melhores da região, vendo os colegas vereadores e o povo de outras cidades que comentam de onde residem e a cidade de Capim Grosso está de parabéns, paga seu povo em dias, suas viagens para Salvador são feitas constantemente.

 

O Vereador Jefferson Ferreira disse que o Projeto de Lei Nº 199, aprovou a permuta do terreno para construção do colégio pelo FNDE, porém, por conflito na questão da documentação o terreno particular não tinha escritura pública e o cidadão através de recibo, precisou fazer alteração, não pode ser permuta e falta a alteração para que se passa para o cidadão e o projeto está para apreciação. O projeto Nº 198 delimita os bairros e de ante mão informou que cria o Bairro Estação da Luz que muitos não sabem, mas faz parte do Jardim Formosa e cria o Nova Avenida, que faz parte do São Luiz, o Bairro Planaltino se divide em três partes e vêm as coordenadas para dar segmento aos projetos. A política municipal de atendimento à criança e adolescente como não foi diferente, precisa discutir o projeto com as partes interessadas e dentro do previsto, dessa forma atende a lei que preconiza o direito das crianças e adolescente. Observou os discursos, assuntos desde a saúde e a estrutura da cidade que vem avançando, mas precisa melhorar, a chuva que cai traz transtorno por conta da infraestrutura, “tivemos feito bastante, pois muitos duvidaram da obra do canal que houve o aval do Ministério Público e surtiu muito efeito, a chuva que deu a semana passada alagaria as residências em torno da lagoa”, explicou. Parabenizou o Secretário de Finanças, Humberto Araújo, que esteve à frente da obra com recursos próprios e precisa esclarecer a população com transparência. “A obra melhora a vida dos munícipes principalmente os que moram próximos à lagoa”, garantiu. “Ouvir questionamentos sobre a saúde e especialidades e precisamos tratar e preventivamente, isso acontece só se tiver especialistas, comungo da opinião dos que passaram, mas devemos ratificar que o atendimento feito em novembro esteve à altura, precisamos ir até a prefeita e a Secretaria de Saúde, para que especialidades não faltem”, opinou. Disse ter visitado a UPA e foram feitos reparos na unidade, alguns departamentos foram resolver obras, portas, fechaduras, o uso é continuo e falta essa manutenção e cobramos diuturnamente”, explicou. “O que precisamos é que as cobranças sejam feitas sim, porém, existe uma dose elevada de sensacionalismo, através de edis, com informações que vai procurar Ministério Público e quando a gente puxa o relatório, se quer preenche a palma da mão as denúncias do município, usando discurso para emocionar o povo”. “Nas últimas sessões falamos sobre o relatório do setor pessoal e o que está com o TCM é o mesmo , porem existe um relatório que o banco fornece a prefeitura para fazer a checagem, é esse que precisamos ter acesso, para avaliarmos o que tem ocorrido na folha de pagamento da prefeitura, e o papel de vereador, tenho a consciência tranquila, faço isso todos os dias, em minha mesa, da Câmara de Vereadores e da prefeitura, tem situação que ultrapassa o vereador, mas como sociedade organizada podemos fazer muito mais”, disse. Em contato com os Correios, é falta de pessoal, e precisa uma notificação para que os Correios possa contratar.

 

 

ASCOM CMV

Deixe um comentário