Vereadores debatem sobre objetivo do projeto Câmara Mirim

O Presidente Bruno Vitor, falou do Projeto de Lei Nº 178, que institui o Programa Câmara de Vereadores Mirins na Câmara Municipal de Capim Grosso: “Esse projeto será consolidado com a Secretaria de Educação, para os estudantes do 6º ao 9º ano. O principal objetivo do Projeto Câmara Mirim é estimular o jovem a participar da política e mudar a cultura de que apenas filhos de ricos poderiam sentar nesta cadeira. Que no futuro, possamos ver jovens de famílias humildes e trabalhadoras fazendo parte da história do nosso município”.

Bruno citou o requerimento para reforma e ampliação do Colégio Zulmira, feito com o vereador Josemy. E das moções de aplauso para o Major Medeiros e o delegado, Dr. Humberto Marinho, ambos que tem como marca o trabalho voltado a sociedade.

 

O Vereador Jamber Dantas, parabenizou o vereador Jefferson pelo seu posicionamento: “E pela lucidez e decência sobre o assunto que mais movimentou as redes sociais esta semana, a derrubada no muro onde seria construído o Colégio da Igreja Adventista. Mas o anseio dos moradores pela construção da praça, foi o que motivou, nós vereadores a requerer o terreno. E através dos incansáveis pedidos dos colegas vereadores Josemy e Bruno Vitor, que a prefeitura tomou a iniciativa para derrubar o muro e fazer a limpeza do terreno”.

Sobre a visita a obra de calçamento, disse: “Também estive com o vereador Nen da Pastoral no Bairro Planaltino visitando as obras e vimos a felicidade estampada no rosto dos moradores. Uma obra de excelente qualidade, que só recebe elogios”.

O edil falou sobre a moção direcionada ao Major Diógenes Medeiros: “Creio que todos esses vereadores reconhecem o brilhante trabalho que o major desenvolve em nossa cidade, a frente da companhia de Polícia Militar, que implantou um trabalho diferenciado, devolvendo tranquilidade aos lares da cidade”.

Parabenizou a gestão municipal e o Secretário de Obras, Hélio, pela realização de obras de esgotamento sanitário: “E aqui me dirijo a prefeita Lydia, que de maneira sensível, nos acompanhou e se comprometeu em fazer a rede de esgoto e a pavimentação dessas ruas”, finalizou.

 

O Vereador Arivelton Mota, fez um agradecimento em nome dos moradores da Fazenda Mata do Estado: “Quero agradecer a nossa prefeita Dra. Lydia por ter atendido o nosso pedido, ao Secretário de Urbanismo, Hélinho e o Diretor de Iluminação Pública, o popular Fuba, por não medirem distancias para atender nossas cobranças”.

O edil também parabenizou o vereador Samoel pela Moção de Aplauso ao Major Medeiros: “Na oportunidade, agradeço a atenção dada a todos nós vereadores, bem como para toda população. Por isso, parabenizo o trabalho que ele vem exercendo juntamente com sua equipe, dando uma nova cara para a segurança de Capim Grosso. Também parabenizo o capitão Walter por seu trabalho”, finalizou.

 

O Vereador Jefferson Ferreira, falou sobre a colocação do vereador Antônio Martinho, em relação a exigência de no mínimo 30% de produtos da Agricultura Familiar: “Em contato com o Secretário de Educação, ele nos apresentou algumas dificuldades, mas nós precisamos fazer com que isso seja cumprido, pois a lei existe para fomentar a agricultura familiar e assim dar melhor qualidade de vida do homem do campo”.

O edil também comentou sobre a representatividade do sistema eleitoral brasileiro: “Aqui são representados 11 partidos políticos e isso é muito importante, porque percebemos que todas as parcelas da sociedade elas acabam sendo representadas pelos seus vereadores”.

Sobre a localização do Campo do Gado, afirmou que o terreno escolhido atendeu as necessidades para a construção do campo e também defendeu a aquisição dos terrenos da frente para a criação de complexo para realização de eventos no município de Capim Grosso. Sobre o terreno doado para a Instituição Adventista, comentou: “O processo de doação foi aprovado pela câmara legislativa na gestão anterior, para criação de uma escola com nível superior, com prazo de 5 anos de carência para começar a obra. Devido a um erro no endereço, a obra não foi iniciada, mas entendo que a maioria, senão todos os vereadores, estavam na intenção de devolver o terreno para o município. Mas no caso da Igreja Adventista, existe um impasse porque ela entrou com uma notificação junto à prefeitura, inclusive existiu uma falha na comunicação em relação a isso, pois a igreja local não foi sequer informada da derrubada do muro”.

O edil falou da visita a Secretaria Estadual de Cultura, com o vice-prefeito Frank Neto, com o Diretor de cultura, Denis Wilson, Herick Rios, em busca do fortalecimento da cultura e do turismo local, bem como colocar o município no mapa do Turismo Nacional, com os principais eventos e festas.

 

O Vereador Gilberto Alves, comentou sobre a moção de aplauso ao delegado da polícia civil, Dr. Humberto Marinho, pelo excelente trabalho que desenvolveu no município e também parabenizou a moção de aplauso ao Major Medeiros, feita pelo vereador Samoel: “O trabalho do Major é brilhante em nossa comunidade, principalmente com a chegada de mais policias para o efetivo”.

O edil agradeceu o apoio dos vereadores que estiveram na entrega da retroescavadeira, adquirida através do Deputado Bobô: “Essa é mais uma conquista para o município. Essa é uma luta nossa e também do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, em nome de Godô e Antônio de Brás, que sempre me acompanham para buscar benefícios para nossa comunidade, como os programas “Água para Todos” e “Luz Para Todos”.

O vereador pediu pressa na reforma do ponto de ônibus das Melancias, bem como o início do projeto da tão sonhada praça com o parque infantil.

 

O Vereador Antonio Martinho, parabenizou e reforçou a Moção de Aplausos do colega Samoel: “Vejo também a necessidade de uma manifestação maior desta casa para lutar para permanência desse grande cidadão, o Major Medeiros, que desempenhou um trabalho de excelência no município. Pois durante esse tempo que está na cidade, reorganizou as ações do efetivo da polícia”.

O vereador fez um requerimento verbal para a compra de implementos agrícolas: “Esse é um ano de uma seca extrema, por isso precisamos de mais um trator para fortalecer a agricultura e aumentar a produção de silagem”.

Também pediu a limpeza da Rua Aroeira, que este mês será uma das principais rotas de chegada tanto do homem do campo, como de convidados para festejar o São João.

O edil comentou da sua ida a Assembleia Legislativa: “Temos dito que o cuidado com o homem do campo tem sido pouco, mas não apenas em Capim Grosso, e sim em todos os estados brasileiros. A lei dos orgânicos necessita de recursos públicos para a sua implementação da política de agroecologia em todo Estado da Bahia, por isso foi criada uma comissão de representantes dos movimentos para estar indo até Governador e pedir apoio para esta causa tão importante”.

Lembrou ainda que o município deveria gastar, no mínimo, 30% do recurso da merenda escolar com os produtos da Agricultura Familiar.

 

O Vereador Nen da Pastoral, falou da luta por projetos que beneficiem a população: “Tem que ter garra e coragem para correr atrás, pois não é fácil, muitas vezes temos que dar mais de cinco viagens a Salvador para conseguir projetos para nosso município. E finalmente conseguimos a energia para os moradores da Fazenda Tuiuiú. Meus sinceros agradecimentos ao Senador Otto Alencar, a prefeita Lydia e também ao Deputado Eduardo Alencar. Esse é o trabalho do vereador, ajudar as pessoas. E estou muito feliz pelas 26 famílias da zona rural que já estão com a energia ligada”, finalizou.

 

O Vereador Samoel Ferreira, agradeceu e parabenizou a equipe Capim Cross e o Departamento de Trânsito pelo evento realizado no final de semana: “Foram distribuídas 380 mudas de árvores e feito o plantio em todo o município. Foi um brilhante projeto e esperamos que ele continue nos próximos anos”.

O edil falou da Moção de aplausos direcionada ao Major Medeiros: “Circula em alguns blogs a possível transferência do Major, quero deixar bem claro que, se depender do apoio popular e apoio desta casa, ele continuará. Afinal, ele vem exercendo um brilhante trabalho”.

O edil fez um requerimento verbal ao setor de iluminação: “A praça da igreja está uma escuridão. Rapidamente contei 12 luzes queimadas e lá é o único lugar onde as pessoas podem fazer caminhada a noite. Mas se os nossos requerimentos não estiverem valendo, e tivermos que ir para porta da prefeitura brigar, esta casa poderia fechar. Na verdade, o que precisa ser feito é trocar o secretário, caso ele não consiga resolver os problemas da sua pasta”.

Sobre o terreno onde será construída a praça, disse: “A intensão era revogar o terreno para o município. Inclusive é bom requerer o outro terreno para fazer a garagem da Câmara. Eu não concordo com doação de terreno e vou explicar o porquê. Hoje eu fui visitar o Campo do Gado porque eu achei que estava funcionando, mas não está. Foi um investimento de 100 mil reais no lugar errado, porque compraram as tarefas de terra lá atrás e as da frente são particulares. Será que para poder indenizar os outros terrenos e satisfazer os integrantes do mesmo grupo político? Está totalmente errado. Daqui para a frente vão aparecer outros, para fazer o gosto e manter as pessoas no mesmo grupo”, finalizou.

 

 

ASCOM CMV