Vereadores insistem no melhoramento da segurança em Capim Grosso

Na sessão dessa segunda-feira, 10, os Vereadores de Capim Grosso debateram sobre os avanços já conquistados e o que deve ser melhorado no município. Assuntos somo segurança, educação e saúde tiveram destaque no uso da tribuna por parte dos legisladores.

Josemy Queiroz - Falou sobre a necessidade de colocar mais assentos nos Posto de Saúde e também informou que visitou o KM 11, onde precisa de um pondo de Ônibus, pois o que existe é coberto de lona, e que não se sabe se a prefeita não vai entregar o cargo, pois não tem pulso para assumir.

 

Nanal Vilas Boas – Lembrou sobre a presença do Major Luiz Henrique e que no dia seguinte amanheceu com a notícia de três furtos na cidade, “a segurança pública é motivo de preocupação no país e deve se ouvir uma explicação da polícia no âmbito civil e militar, pois algo errado acontece com os trabalhos dessas corporações”, disse. Fez um requerimento em defesa dos sindicatos dos funcionários públicos que pede uma doação de terreno para construção com recursos próprios do Sinsp e APLB sindicato, que brigam pela valorização e defesa do funcionário público. Outro requerimento endossou o direito a prerrogativa de vereança que é justamente por uma Liga de Esportes independente acontecendo a eleição no último dia 4, conhecida como chapa inovadora, “durante muito tempo a Liga viveu sempre dependendo da boa vontade da prefeitura, então que viabilize recursos, para que a Liga possa ser gerida e desportistas não amanheceram o dia nos passeios de gestores”, explicou. “É importante que se veja a Liga como uma entidade independente, ela precisa ser gerida de maneira imparcial com debate para que esportistas opinem, inclusive diversificando outros esportes, não houve influência de quem quer que seja, pois os votantes eram autônomos”, continuou. Comentou que hoje se completa 100 dias da gestão municipal e que é necessário rever o modelo de gerir a administração pública, pois os tempos mudam e a cidade cresce e o mais importante seria o desenvolvimento. “É importante também que analisem os requerimentos que foram debatidos nessa tribuna, será que estamos acompanhando o crescimento e o desenvolvimento de Capim Grosso? Eu acredito que não”, indagou.

Samoel Moto Taxi – Diante das situações já citadas, parabenizou os edis Lucas e Jó, sobre as cobranças feitas na tribuna. Disse também parabenizar os colegas que fazem parte da situação, mas, disse que algumas defesas não são pertinentes e que o abandono das escolas da zona rural há muito tempo existe, sendo inaceitável que uma escola passe seis anos sem uma pintura. Relatou que muitas vezes cobra do secretário e a resposta é que está se tomando providências, denunciando a falta de geladeira, além de não concordar com a forma de transporte da merenda, “chega fria e a cantina não é apropriada para a zona rural”, alertou. “Muitas crianças saem de casa sem tomar café, para merendar na escola e é inaceitável que chegue lá seja alimentado com um geladinho”, reclamou. Disse que a cidade vive um caos e o medo com a avenida principal recebendo o terror e adiantou que o Governador está devendo muito a Capim Grosso, pois veio inaugurar as câmeras de monitoramento, mas não coloca efetivo, pois pegaria os meliantes em flagrante. Lembrou que na eleição passada distribuíram dvds demonstrando que se a oposição ganhasse a eleição a cidade iria virar um terror, “aqui antigamente se contava homicídio e agora o terror que está acontecendo, seria bom que viesse esclarecer, pois nós iriamos trazer um monte de bandidos, e agora trouxeram então?”, indagou. “Agora não vamos ficar de boca calada”, adiantou. Disse que a Regulação não funciona, chamando de Regulação da Morte, “e não é possível quebrar um dedo e ir para Feira de Santana”, finalizou.

Gilberto Alves – Cobrou o melhoramento na iluminação do Ponto de ônibus das Melancias e disse apoiar o projeto de padronização das barracas. Pediu que se coloque correntes nas entradas da feira livre, por conta de motociclistas entrarem no local no horário de funcionamento. Pediu a iluminação da Rua Jacobina no povoado do Peixe, agradecendo pela iluminação em outras ruas, porém, reclamou que faltam braços de luzes. Disse que é necessário que os edis se reúnam para buscar o melhor para a Saúde do município.

 Nem da Pastoral - Comentou sobre a importância da transmissão da sessão da Câmara, que para que o vereador mostrar seu trabalho. Sobre a Saúde, disse que vai bem em Capim Grosso, “uma cidade que tem uma Upa que recebe várias cidades, tudo pago por Capim Grosso, e não tem alguns especialistas por que está difícil para encontrar”, explicou. Parabenizou o novo Presidente da Liga Esportiva, Tita, pedindo que o resgate do futebol de campo, “que acabou há muitos anos”. Parabenizou ao Vereador Jeferson, sobre o requerimento de padronização da feira livre, que necessita de investimento. Falou que no Bairro São Luiz tem crianças atravessando a Avenida Ayrton Sena com um trânsito muito intenso, com o colégio tendo um terreno muito grande, comparando com o colégio do Jardim Araújo e disse que a realidade não é a mesma, mas confia ne gestão da Prefeita Lydia, e em três meses não daria para organizar tudo, mas em nome das famílias do Bairro pediu que se faça mais outras salas e atenda o apelo.

Palavra do presidente - Bruno Vitor, disse que não poderia se calar quanto aos questionamentos feitos na Casa. Disse que os edis fizeram seus papéis em relação a caminhões pipas, devolvendo 20 mil reais, equivalente a 200 carradas de água, convidando o homem e a mulher do campo que não recebeu para se dirigirem até a Secretaria de Agricultura, “e se a agua não chegar, que venham procurar os vereadores”. Disse que o ponto de ônibus cobrado pelo vereador Jó não faz parte do município de Capim Grosso, fazendo parte de Quixabeira. Informou que irão até Salvador cobrar ao Secretário de Segurança mais policiamento, pois chegou viaturas e policiais, porém o Disep atende a oito cidades. Colocou que a Prefeita Lídia está na capital com o mesmo objetivo. “É necessário um Delegado plantonista aos fins de semana”, indicou. “Capim Grosso precisa de um ortopedista cirurgião, mas atende a população, em média saem 90 a 100 pessoas por dia para Salvador, enquanto os médicos não chegam, os pacientes estão sendo atendidos”, afirmou. “O Naepi é referência na região, o Ceo possui os melhores dentistas, entrega de próteses, canal e outros atendimentos”, declarou. “Se ligar o jornal na tv, se vê filas de quarteirões, e aqui não”. Desafiou que alguém use a tribuna e fale qual cidade tem 14 médicos, três atendendo na UPA. Disse que dia 06 chegou medicamentos, e já está sendo distribuídos. “Fazer oposição é fácil, mas também tem que dizer a população quais são os atendimentos que estão disponíveis, e que tem saúde, educação e segurança”, continuou. “Muito maior que a Capim Grosso é Irecê e estouraram um banco há poucos dias, reclamaram da Guarda Municipal, mas esqueceram que foram eles que seguraram a onda quando a polícia cruzou os braços e agora cobram pela guarda na praça da feira”, concluiu.

Jamber Dantas – Comentou sobre a visita do Major Luiz Henrique na Câmara de Vereadores, e no mesmo dia fatos lamentáveis de arrombamentos aconteceram e que infelizmente comerciantes foram vítimas, sendo necessário se dá um basta. O edil cobrou uma resposta de maneira rápida das policias civil e militar. Apresentou requerimento verbal solicitando do Executivo a criação de uma feira-livre no Bairro de Água Nova, a pedido de moradores, além de um Campo de futebol com vestiários. Informou que visitou a Secretaria Estadual de Meio Ambiente, onde recebeu apoio para o projeto Recicla Capim Grosso e em breve estará nas ruas com campanhas educativas, inclusive com os professores levando a mensagem para os alunos.

 Jeferson Ferreira – Falou que apoia o projeto de Lei 154 das gratificações de funcionários da Secretaria de Finanças, acreditando que todos os 11 edis são a favor, pois incentiva e prioriza as pessoas que realmente trabalham, e sobre o projeto de IPTU “já é rotina mais tem que passar pela Casa, se tratando de um sorteio para quem paga em dia”, adiantou. Elogiou a agilidade da Câmara em disponibilizar o balanço anual da Casa e do Executivo. Lembrou do projeto de sua autoria que é a padronização das barracas da feira livre,” havendo interesse do Poder Público, com certeza vai acontecer”. Sobre o Projeto de Esgotamento Sanitário, disse que esteve em Salvador e pediu mais rapidez, para que possam ir buscar os recursos, pois quando investe em saneamento economiza em saúde pública. Esteve também no gabinete da Deputada Neusa Cadore, pedindo projetos para Capim Grosso e na Secretaria estadual de Agricultura, para que padronizem as barracas da Agricultura Familiar.

Antônio Martinho – Disse que tem um requerimento onde parte do serviço foi feito que era a escarificação da estrada Boi na Brasa, até a bifurcação que liga Tigre, Curral de Pedras e Morro Branco que “estava há muito tempo sem patrolamento e a gente entende a importância dessa estrada para pessoas que trazem seus produtos e tem a maior concentração de leite do município”, acrescentou. Comentou sobre a presença do Major Luiz Henrique na Casa “e por ironia do destino houve um grande arrombamento na mesma noite”, disse. Informou que visitou a comunidade do Rio do Peixe e passou na escola que foi reivindicada por professores e mães de alunos, indicando que algumas coisas já foram feitas, mas “há uma grande necessidade de um olhar carinhoso da gestão, pois a situação física de ambas não estão boas”, adiantou. Disse que na comunidade de Junquinho foi entregue uma cisterna de polietileno e cobrou do Secretário a instalação, “a cisterna que colocam água não está no estado físico tão bom e tem muitas famílias necessitando e essa da escola não foi dada a atenção devida”, declarou. “Na última quarta-feira aconteceu a eleição da Liga Esportiva e que a nova diretoria possa exercer sua função, pois ultimamente se tratava apenas de futebol e outros esportes não tem a mínima de atenção e a gente não tem visto as argolinhas receber atenção assim como vôlei, basquete e capoeira”, indicou. Sobre a retirada de entulho pela gestão disse ser contra por conta que quem mais precisa é o município, e foram recuperados ruas com esse material, que vem com qualidade boa e lamaçais já não voltam mais.

Lucas Maciel – Comentou que seu mandato é participativo e pediu que palmeiras sejam replantadas na avenida ACM, pois foram arrancadas por vândalos e outras morreram, e podem crescer diferentes. Comentou sobre a denúncia feita por Samoel da falta de especialistas nos hospitais e foi olhar de perto percebendo a gravidade. “Uma cidade como Capim Grosso, no século XXI, só na saúde recebeu 2 milhões e meio e uma mulher carente ficar atrás de uma ginecologista, está na hora da Prefeitura e Secretaria de Saúde e os colegas da bancada de oposição e situação se reunir, e não aceitar, pelo menos ginecologista para mulher, e urologista para os homens e pediatria para crianças precisa ter”, recomendou. Informou que uma mulher chegou 5 horas da manhã no Posto Médico e não tinha mais fichas. “Não pode deixar o dinheiro escoar pelo ralo, a saúde em primeiro lugar”, comentou. Falou ainda que em toda a área da Prefeitura tem uma deficiência. “Como vereador e representante do povo não vou deixar de falar”, disse. “Tem cidades menores e com recursos menores dando show em Capim Grosso”, concluiu.

 

ASCOM Câmara Municipal de Capim Grosso

Deixe um comentário