Ex-policial mata quase 40 pessoas, a maioria crianças, em uma creche na Tailândia

Um ex-policial matou na última quinta-feira, 6, matou pelo menos 35 pessoas, incluindo 22 crianças, em um ataque a uma creche na região norte da Tailândia, depois assassinou sua família e cometeu suicídio, em um dos maiores massacres já registrados na história do país asiático.

O autor do ataque, um ex-policial de 34 anos, armado com um fuzil, uma pistola e uma faca, invadiu uma creche em Na Klang às 12H30 (3H30 de Brasília), informou o coronel Jakkapat Vijitraithay, da polícia provincial de Nong Bua Lam Phu.

Entre as vítimas fatais estão 22 crianças, com idades entre dois e três anos.

A Tailândia é um dos países no mundo com maior número de armas em circulação, mas ataques como o desta quinta-feira são raros.

Nos últimos anos, no entanto, aconteceram pelo menos dois casos de militares que executaram ataques similares, segundo o jornal Bangkok Post.

Em 2020, um oficial do exército atacou um centro comercial de Nakhon Rachasima, no interior do país, e matou 29 pessoas.

O atirador, 31 anos, foi morto pelas forças de segurança após uma perseguição de quase 17 horas. Ele cometeu o massacre depois de discutir com um oficial superior.

Após o ataque, o primeiro-ministro Prayut Chan-O-Cha, que já estava no cargo, afirmou que queria que aquela fosse “a última vez” de uma tragédia do tipo no país.

Em setembro, um sargento matou dois oficiais do exército em um tiroteio em um centro de treinamento militar em Bangkok.

Os militares têm grande influência em muitos setores da vida da Tailândia, da política até os negócios, e tomaram o poder em várias ocasiões nas últimas décadas, a mais recente em 2014.

 

 

Fonte: Terra