Esposa nega que marido tenha matado tatu em Capim Grosso; 'foi uma brincadeira'

A esposa do homem que compartilhou imagens de um tatu aparentemente morto em um grupo do Whatsapp, na cidade de Capim Grosso – distante cerca de 62 quilômetros de Jacobina –, negou que ele tenha matado e se alimentado do animal. Ela disse que tudo não passou de "uma brincadeira entre amigos".

O homem, cuja identidade foi preservada na reportagem, compartilhou uma foto segurando o tatu pendurado pelo rabo, com a seguinte legenda: "Bom dia a todos hoje tem tatu no leite de licuri (sic)", afirmando que iria se alimentar do animal silvestre. O caso ganhou repercussão em Capim Grosso e vários moradores entraram em contato com o Jacobina Notícias.

Indignada pela repercussão da "brincadeira", a esposa classificou de "mentirosa" a história e enviou um vídeo que seria da soltura do animal em uma propriedade da família na zona rural. Uma criança aparece na maior parte do vídeo e, por este motivo, não foi exibido na íntegra.

A Prefeitura de Capim Grosso, através da diretora de Meio Ambiente, Adriana Ferreira Lima, entrou em contato com o Jacobina Notícias para solicitar o material enviado pelos cidadãos. De acordo com a servidora, o órgão busca identificar "o suspeito e assim agir conforme a lei, visando a preservação das espécies já em risco de extinção".

Mesmo com o marido tendo compartilhado a imagem em um grupo de amigos, gerando discussão na cidade de Capim Grosso ao ponto de moradores buscarem os veículos de comunicação, a esposa culpou a imprensa pelos problemas que foram gerados com a exibição do caso.

Jacobina Notícias - O seu portal de informações