Depois de sete meses, corpo de professor carbonizado é liberado pelo IML

Depois de sete meses, o corpo do professor Jeovan Bandeira, 39, foi identificado e liberado pelo Instituto Médico Legal (IML) de Feira de Santana, na última segunda, 09.

O Departamento de Polícia Técnica aguardava o resultado do exame de DNA. O professor estava desaparecido desde o dia 10 de junho de 2016 quando dois corpos foram encontrados carbonizados no porta-malas de um carro, localizado na BA-120, em Santa Luz. O outro corpo, do também professor Edivaldo Silva de Oliveira, 32, foi identificado ainda no mês de junho.O caso foi solucionado em dezembro com a prisão de uma jovem, Gleice da Costa Anjos, de 19 anos, e um adolescente de 17. Os dois confessaram o crime e revelaram que os professores foram assassinados após uma tentativa de sequestro mal sucedida. O velório e o enterro de Jeovan foram realizados nesta quarta, 11, no distrito de Pereira, distante 63 quilômetros de Santaluz, depois que uma funerária com os restos mortais do professor for levada para a casa de sua mãe. "A sensação é de alívio. Mesmo após tanto tempo, conseguiremos fechar este ciclo de maneira digna", declarou Fábio Bandeira, irmão de Jeovan.

 

Fonte: Bahia Notícias / Foto: Notícias de Santaluz.